Daunia

Rei: Calco
Idioma: Etrusco.

O povoado da Daunia que fica no leste da península italiana é formada por pescadores que desejam continuar sua vida pacata. Eles oram para os deuses etruscos sempre desejando a paz e a prosperidade do casal divino Túnia e Uni. O principal parceiro comercial deste povo são os povos da Calidônia, da Faécia e da Cefalônia, que ficam na margem oposta ao mar Adriático.

O povoado de Daunia costumeiramente comercializa alimentos básicos de trigo e cevada em toca de vinho, uvas e azeite. Era um povoado próspero cuja maior preocupação era com suas vidas alheias, sem se preocupar com o mundo à sua volta. No entanto, tudo mudou em razão do teimosia de seu rei Calco, que o fez se apaixonar pela perigosa bruxa Circe. Esse foi um sentimento que lhe causou a ruína.

Tudo ocorreu numa das viagens marítimas do povo Dauno, desta vez, para fazer contato com os novos moradores da ilha de Sardenha. No caminho, ventos contrários obrigaram o rei Calco a desembarcar na ilha de Córsega. Lá, ele conheceu a bruxa Circe que detém toda a ilha para si. O rei Calco ficou imediatamente apaixonado pela feiticeira.

O rei Calco a prometeu joias e presentes infindáveis caso o aceitasse em casamento. A situação só aborreceu a maléfica Circe. Ela lançou em encantamento no rei através de poções e ervas mágicas que o transformaram num porco. Todos os seus homens fugiram assustados quando viram o triste destino do rei dos Daunos. Desde esse dia, o rei Calco está aprisionado no chiqueiro da poderosa feiticeira. Felizmente, seus homens planejam uma expedição de volta à ilha para resgatar o rei aprisionado.

 

Mássico

O leal Massico é o melhor de todos os homens do rei Calco. Quando soube na triste notícia da transformação do seu rei num suíno, ele jurou que o resgataria do chiqueiro onde foi aprisionado. Ele passou os últimos anos impedindo que rebeliões ocorressem e matando todos que tentaram usurpar o trono do rei caído.

Agora, com o reino pacificado e o trono de Calco assegurado, o leal Massico reuniu um contingente de mil homens para a expedição de resgate ao rei. Eles logo partirão nessa nobre missão para restaurar o trono do verdadeiro rei dos Daunos.

[Virgílio – Eneida: 10.166].

 

Ásilas

O profeta Ásilas é um necromante poderoso capaz de receber visões do presente e do futuro ao realizar rituais com as entranhas de animais sacrificados. Seus olhos fundos e cobertos por sombras não escondem sua conexão com o sobrenatural. É uma figura realmente assustadora que os pais costumam usar para assustar suas crianças.

Apesar de sua aparência enervadora e do cheiro putrefato que exala por seu ofício, o assustador Ásilas sempre foi um dos maiores dos conselheiros do trono real de Daunia. E assim está ao lado do guerreiro Mássico no plano para resgatar seu rei aprisionado pela feiticeira Circe.  No entanto, ele acredita que pode convencer a feiticeira a entregar o rei Calco por vias da diplomacia. Pelo menos, assim ele viu em suas visões.

[Virgílio – Eneida: 10.175].

 

Tarantina

A Daunia é uma terra de navegantes, que sobrevive do comércio e da pesca. Assim, é de se esperar que seu povo tenha feito grandes relações com os povos do mar. A maior dessas relações é com a mulher oceanida chamada de Tarantina.

A bela Tarantina é vista plainando nas águas do mar da Talassa junto a golfinhos e cardumes de peixes. Ela é constantemente vista ajudando as embarcações em perigo e se relacionando com homens viris. Ela vive extremamente livre e sem compromissos embora tenha recebido da profetisa Calibe a revelação que um de seus descendestes fundará um importante cidade com o seu nome.

[Pausânia – Descrição da Grécia: 10.10.8]

 

Calybe

Recentemente, muitos sacerdotes dos novos deuses chegaram à Itália e tem difundido o culto de Júpiter e Juno nesta região. A mais antiga dessas sacerdotisas é poderosa Calibe, que ora para a deusa-mãe verdadeira e é capaz de evocar Alecto, o espírito da ruína, sobre si.

A evocação de Alecto lhe trouxe um conhecimento especial sobre o destino de todas as pessoas. Ela é capaz de conhecer o dia da morte de todas as pessoas e muitas vezes ela mesmo quem corta a linha da vida de suas vítimas. Muitos têm escutado seus delírios sobre um terrível destino, o qual ela prega que o guerreiro Mássico liderará seus mil homens não contra a feiticeira Circe, mas contra o líder Turno dos Rútilos. Ela clama que a morte deste guerreiro defensor dos antigos deuses já está decidida!

[Virgílio – Eneida: 7.419].