Cronologia Canaanita

No princípio, o mundo era sem forma e vazia; trevas cobriam o abismo, e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas. Então Deus disse “Haja Luz” e tudo foi criado. Por fim, o homem foi formado do pó da terra e o folego de vida foi soprado em suas narinas. No entanto, esse primeiro homem desobedeceu a Deus e sua prole passou viver no pecado. Os homens se multiplicaram malignos e perversos. 

Era de Ouro (Noé)

James Jacques Joseph Tissot (1836-1902)

Um grande dilúvio, enviado pelo Deus Único, dizimou as principais cidades humanas que estavam contaminadas pelo pecado. O Deus Único escolheu um homem para sobreviver à catástrofe. O seu nome era Noé, que construiu uma arca para colocar animais em seu interior e levou consigo seus três filhos com as esposas. Eles foram os únicos sobreviventes da catástrofe. Quando as águas baixaram e a arca tocou a terra seca dos montes Ararat, a família de Noé desceu da embarcação e passou a repovoar todo o mundo.

O primeiro período humano após o dilúvio foi uma era áurea. O mundo todo falava apenas uma língua. Era um só modo de falar. No entanto, as suas civilizações cresceram cheias de ambição. Eles usavam tijolos em lugar de pedras, e piche em vez de argamassa. Então disseram: “Vamos construir uma cidade, com uma torre que alcance os céus. Assim nosso nome será famoso e não seremos espalhados pela face da terra”. O Senhor Deus desceu para ver a cidade e a torre que os homens estavam construindo. E disse: “Eles são um só povo e falam uma só língua, e começaram a construir isso. Em breve nada poderá impedir o que planejam fazer. Vou descer e confundir a língua que falam, para que não entendam mais uns aos outros”. Assim o Senhor os dispersou dali por toda a terra, e eles pararam de construir a cidade.

Era de Prata (Abraão)

Na nova era dos Homens, havia muitas línguas no mundo. Isso tornou o ofício de mercador extremamente difícil. Não obstante esse era o ofício do pai de Abraão na confecção e venda de estatuetas. Certo Dia, o Senhor Deus disse ao rapaz: “Saia da sua terra, do meio dos seus parentes e da casa de seu pai, e vá para a terra que eu lhe mostrarei. Farei de você um grande povo com tantos descendentes quanto as estrelas do céu, e o abençoarei. Tornarei famoso o seu nome, e por você o mundo será abençoado”. O caridoso Abraão assim o fez; e sua prole a partir do filho Isaque originou o povo escolhido do Deus Único: o Povo de Israel.

Anos depois, uma Grande Fome acometeu todos os povos do mundo incluindo os descendentes de Abraão. O seu neto Jacó se viu obrigado a viajar ao Egito onde recebeu a promessa de comida e asilo pelo faraó. No entanto, passada mais algumas gerações, subiu ao trono do Egito um novo faraó, que nada sabia sobre a promessa que seu anterior havia feito. Ele disse ao seu povo: “Vejam! O povo israelita é agora numeroso e mais forte que nós. Temos de agir com astúcia, para que não se tornem ainda mais numerosos e, no caso de guerra, aliem-se aos nossos inimigos”. Os egípcios estabeleceram assim trabalhos forçados na construção de cidades-celeiros. Todavia, quanto mais os israelitas eram oprimidos, mais numerosos se tornavam e mais se espalhavam. Por isso os egípcios passaram a os temer, e os sujeitaram a cruel escravidão. 

Era de Bronze (Moisés)

James Tissot (1836-1902)

Após quatrocentos anos como escravos no Egito, um homem, que era considerado egípcio, mas que tinha pais israelitas, pastoreava cabras quando chegou no monte Horebe. A presença divina surgiu na sua frente numa chama de fogo que saía do meio de uma árvore. O homem percebeu que, embora a árvore estivesse em chamas, esta não era consumida. Nesse momento, surgiu uma voz: “Moisés, Moisés! Tire as sandálias dos pés, pois esta é uma terra santa. Eu sou o Deus de seu pai, o Deus de Abraão, Isaque e Jacó; e tenho visto a opressão sobre o meu povo no Egito; e também tenho escutado o seu clamor. Eu sei quanto estão sofrendo, por isso, desci para livrá-los das mãos egípcias e tirá-los daqui para uma terra boa e vasta, onde manam leite e mel. Vá, pois, agora; eu o envio ao faraó para tirar do Egito o meu povo”.

Mesmo após muitas negociações iniciadas por Moisés, o faraó só aceitou libertar o povo de Israel após contínuas pragas que recaíram sobre o Egito até a decisão ser enfim tomada. Ainda assim, os israelitas chegaram à Terra Prometida sob a perseguição dos exércitos faraônicos. Infelizmente, a chegada na Terra Prometida não deixou sua situação melhor. Após quatrocentos anos afastados da terra prometida, a região estava dominada por povos que adoravam ídolos e falso deuses. Estes não enxergaram com bons olhos a chegada dos israelitas e uma guerra se iniciou. O próprio profeta Moisés não conseguiu sobreviver tempo o bastante para colocar os pés na desejada região. Morreu de velhice, sobre um monte, a contemplando ao longe a terra que foi prometida à Abraão. Foram anos de batalha sob a liderança do seu mais fiel discípulo chamado Josué até que o povo de Israel conseguiu conquistar a terra onde hoje vivem.

Situação Atual (Messias)

O líder militar Josué dividiu a Terra Prometida em doze territórios, um para cada família que descendeu dos doze filhos de Jacó, e definiu o centro religioso na cidade de Siló. Cada território possui seu próprio líder que recebe o título de “Juiz” com autonomia para governar sua tribo. Os israelitas estão vivendo sob esse sistema por quinze gerações desde o grande profeta Moisés. No entanto, esse sistema tem se mostrado extremamente falho, pois cada pessoa faz o que julga correto aos seus próprios olhos sem buscar a verdade de Deus.

Os Juízes nem mesmo buscam a Lei deixada por Moisés para suas decisões. Grande parte da população sequer é capaz de reconhecer o Deus que os libertou do Egito. Muitos acabam por confundir o Deus Único com algum dos muitos falsos Deuses. Os sacerdotes estão em polvorosa com essa situação cada vez mais decadente. A ideia de um governo central sob o comando de um único soberano tem sido discutido abertamente e profecias já começam a ser proferidas sobre um “Messias”, que será coroado como rei de toda a Israel.