Zebulão

Tribo dos Novos Blasfemadores

James Tissot (1836–1902)

Governante: Ibsã.
Território: Tribo de Zebulom.
Símbolo: o Navio no Porto

O patriarca Abraão recebeu a revelação de que existe apenas o Deus único e verdadeiro, que lhe prometeu uma descendência próspera e numerosa. Abraão assim teve doze bisnetos cujos descendentes remontam as doze tribos de Israel que governam a terra de Canaã. O descendente chamado Zebulom recebeu a profecia de seu pai Jacó: “Você morará à beira-mar e se tornará um porto para os navios; suas fronteiras se estenderão até a fenícia Sidom”. As terras de Zebulom hoje estão à beira-mar, mas é a cultura fenícia com seus falsos deuses que avança contra as terras israelitas.

O atual juiz de Zebulom chama-se Ibsã que parece mais preocupado com suas riquezas que com os mandamentos do Deus verdadeiro. Ele possui muitas esposas e concubinas que geraram trinta filhas e trinta filhos para si. A sua busca por poder e influência os fez se casar com homens e mulheres estrangeiras. Aqueles que foram enviados para outras terras hoje nem mais se lembram da verdade do Deus Único. Os que ficaram na terra de Zebulom trouxeram os cultos dos falsos deuses para dentro do palácio de Ibsã, para dentro de suas casas e para todo o povo de Zebulom. Os relatos de  imoralidade sexual e os sacrifícios infantis já começam a surgir dentre a população.

 

Elom

O guerreiro Elom é um homem nascido nas terras de Zebulom que segue sua devoção ao Deus único e verdadeiro. Ele segue os preceitos revelados por Abraão e a lei revelada ensinada por Moisés. Esse é o motivo pelo qual está indignado com o que vem ocorrendo na Casa de Ibsã, o governador destas terras. Os seus filhos se casaram com mulheres fenícias, hititas e babilônicas que trouxeram os falsos deuses à terra de Israel.

Quando Elom descobriu que era permitido às mulheres estrangeiras trazerem estatuetas de suas terras natais, logo soube que estes ídolos trariam a ruína. Não demorou para seus filhos e filhas se renderem aos prazeres carnais aos quais os outros povos não possuem restrição. Logo, o nome dos falsos deuses Baal, Yam e Mot voltaram a ser escutados. Recentemente, se espalhou a notícia de um crime bárbaro. O corpo de uma criança morta num sacrifício ritualístico apareceu nas proximidades da cidade. Agora, Elom deseja buscar os responsáveis para que a desgraça não caia sobre sua cidade. 

Tissot_The_Egyptians_Admire_Sarai's_Beauty

James Tissot (1836-1902)

Shadrafa

As terras israelitas foram devastadas pela guerra que invasões estrangeiras causaram. Eles estão decepcionados com o Deus único e verdadeiro que parece lhes punido com tamanha violência. Ou talvez os sanguinário deuses canaanitas sejam os verdadeiros ídolos a seguir, muitos assim pensam. Não há dúvidas que a mente dos israelitas estão mais vulneráveis quanto seus corpos feridos pelos inimigos. É através dessa vulnerabilidade que o curandeiro Shadrafa consegue convencer o povo das doze tribos sobre os deuses de outros panteões.

Shadrafa é um rapaz jovem com pouco mais de vinte anos que peregrina em diferentes cidades de Canaã para empreender seus poderes mágicos. Ele sempre está empunhando o seu cajado de madeira em volta do qual uma serpente está enroscada e tem sobre seu ombro um escorpião de estimação que carrega consigo. O jovem Shadrafa possui dons de cura e regeneração; e está sempre disposto a oferecer os seus servições àqueles que necessitam. Essa atitude prestativa e compassiva faz com que muitos o sigam e o auxiliem no tratamento dos doentes. Muitos o consideram como um deus da medicina, mas apesar de dizer que é apenas um servo voluntarioso dos deuses do panteão, o curandeiro é um dos principais motivos pela qual tantos israelitas passaram a abandonar o culto do Deus único e verdadeiro que foi incapaz de lhes proteger.

 

Lotan

As profundezas da Terra não há nada mais que uma tempestade negra sobre a qual emerge desde os mares o vulto escamoso de uma serpente volumosa. Ela surge como ondas uma crista incendiada: lentamente elevamdo-se como um recife de ouro. É quado se avista seus olhos como globos de fogo carmesim, dos quais o mar se escapa em nuvens de fumo. Essa serpente gigante possui sua fronte sulcada por listras de verde e púrpura. A boca e as guelras pendem sobre a espuma enfurecida, tingindo o negro abismo com raios de sangue, avançando contra as embarcações que passam pela costa destas terras. Assim, a criatura vem sendo descrita pelos navegantes.

Ninguém é bastante ousado para provocar criatura; nem enfrentá-la face a face e sair com vida debaixo de toda a extensão do céu. A boca aberta revela dentes que fazem reinar o terror. Quando a criatura se levanta, tremem as ondas do mar que se afastam umas das outras. O metal para a criatura é palha. Um boi é como erva. Eis que a sua força está nos seus lombos e o seu poder, nos músculos do seu ventre. Nenhuma criatura é tão temida quanto aquela que está adormecida no fundo mar. Alguns a chamam de Leviatã, Lotan ou Beemonte, mas, não importa o seu nome, ela é causa de horror entre os homens. 

 

Destruction_of_Leviathan

Gustavo Dore

Yam

Os cultos canaanitas não acreditam que o todo-poderoso El seja um deus único, mas um deus supremo que criou a humanidade e gerou todo os outros deuses. Ele se casou com a esposa-divina Aserá com quem teve muitos filhos. O maior desses filhos chama-se Baal Adad, que alcançou a liderança do panteão após derrotar os seus irmãos. Primeiro, ele arremessou Yam ao mar com suas duas poderosas maças chamadas de Yagrush e Yamur. Depois, enfrentou Mot nas profundezas do mundo onde teria sido derrotado caso a deusa-virgem Anat não o tivesse resgatado. 

O deus Yam é o senhor do caos e do mar indomado. Muitos são os cultos a ele, em especial, nas cidades de Ugarite. No entanto, o seu culto nunca deixou de existir por toda a Israel. Ele é venerado principalmente nas cidades costeiras como Dor e Joppa por seu poder sobre os mares. Os navegantes comumente fazem preces a esse deus antes de suas viagens para lhes dar águas seguras e para acalmar a terrível serpente Lotan. O deus Baal é o seu rival que legou a Yam o poder sobre os mares. No entanto, o grande desejo de Yam é ascender às alturas dos deuses que ele odeia para governa toda a existência. Todos dizem que logo Yam lançará um novo desafio ao líder do panteão.