Gileade

A Tribo do Líder Fanático

Governante: Tibni.
Território: Tribo de Manassés.
Símbolo: O Firme Arco.

O patriarca Abraão recebeu a revelação de que existe apenas o Deus único e verdadeiro, que lhe prometeu uma descendência próspera e numerosa. Abraão assim teve doze bisnetos cujos descendentes remontam as doze tribos de Israel que governam a terra de Canaã. O bisneto chamado José recebeu a profecia do pai Jacó:  “Com rancor arqueiros o atacaram, atirando-lhe flechas com hostilidade, mas o seu arco permanecerá firme, os seus braços fortes, ágeis para atirar, pela mão do Deus de Israel, que o ajuda e o abençoa.” Essas palavras foram verdadeiras antes na invasão dos midianitas que foram derrotados pelo líder Gideão, como atualmente pelos líderes irmãos Tibni e Joram que acreditam ser os enviados do Deus Único para acabar com o pecado de Israel.

Os líderes da tribo de Manassés se chamam Tibni e Joram. São dois irmãos fanáticos em sua religião, que ficaram indignados com a ganância do rei Salomão e do seu sucessor Roboão. Juntos. eles decidiram se revoltar. Eles fizeram uma aliança com as outras tribos para iniciar uma revolta. No entanto, essa é uma aliança por conveniência visto que ambos acreditam que todos  os seus aliados são líderes inferiores. São pecadores aos olhos do Deus Único. Eles enxergam Jeroboão como um oportunista, Omri como um sádico, Baasa como um blasfemador e Zimri como um fraco. Nenhum deles está a altura do Deus verdadeiro e eterno. Eles assim desejam tomar o poder para exercer a vontade e a lei de Deus em toda a população.

Joram

O guerreiro Joram é o irmão do líder Tibni da tribo de Manassés com quem divide o mesmo fanatismo religioso. Juntos, esses dois irmãos subiram no monte Siló para honrar ao Deus Único com sacrifícios sagrados e ajoelhar-se em obediência. Eles proferiram um discurso aos sacerdotes levitas contra o futuro rei Roboão, que traiu o povo de Israel. Prometeram tomar o trono das Doze Tribos para si e trazer a Arca da Aliança na cidade de Jerusalém de volta à cidade de Siló de onde nunca deveria ter saído.

Para a infelicidade dos irmãos, Joram e Tibni tiveram uma surpresa quando grande parte dos sacerdotes levitas rejeitaram a promessa deles. Eles exaltaram a linhagem do rei Davi como a única verdadeira e determinaram que o conflito entre as tribos só trará instabilidade para o reino. Eles amaldiçoaram os revoltosos: Jeroboão e Baasa morrerão com toda a sua linhagem. E ambos Joram e Tibni nunca governarão; eles só causarão mais divisão com os povos das Doze Tribos. A resposta trouxe a ira aos irmãos que desejam manter sua missão mesmo sem a ajuda dos sacerdotes levitas.

Bengeder

O próprio rei Salomão apontou doze governadores para cada uma das tribos de Israel para manter a fidelidade do seu povo. A ideia funcionou extremamente bem pelos quarenta anos em que este rei esteve no poder. Ele conseguiu o apoio da classe sacerdotal com a construção do Templo de Jerusalém onde a Arca da Aliança hoje está localizada e consolidou o seu poder ao finalizar o Palácio de Salomão onde reside com sua família real. Foram vinte anos de construções ininterruptas desde os seu quarto ano de governo. Ao fim da obra todos acreditaram que os impostos seriam reduzidos para aliviar a carga sobre a população. Infelizmente, isso não aconteceu.

O governante da tribo de Manassés se chama Bengeder. Ele manteve o seu poder ao longo desses anos na maior tribo de toda a Israel com mais de sessenta cidades muradas sob o seu controle. No entanto, para sua infelicidade, o rei Salomão tem caído em desgraça. Primeiro, os sacerdotes o abandonaram em razão da permissão que o rei concedeu às suas mais de mil esposas e concubinas estrangeiras de orar para os deuses que bem desejaram, incluindo aqueles de suas terras. O palácio real assim se encheu de ídolos condenados pelas leis do Deus Único. Depois, a população lhe virou as costas em razão dos impostos que ainda se mantém em níveis elevadíssimos. Por último, a sua saúde se deteriora enquanto seu sucessor Roboão cria mais insatisfação ao bradar que aumentará ainda mais os impostos quando for rei. Hoje, os temores do governador Bengeder se concretizaram com uma revolta popular nas terras de Manassés, que lhe tomou o poder e entregou aos líderes fanáticos Tibni e Joram.

Elias

O jovem profeta Elias é um dos maiores defensores do culto ao Anjo do Senhor, Javé, contra a veneração de falsos deuses. Essa é a razão pela qual o Deus Único o tornou capaz de grandes milagres. Rumores contam que ele é capaz de ressuscitar os mortos, fazer chover fogo dos céus e cavalgar os ventos. Ele vive nas terras de Tisbé, próximo da cidade de Gileade, onde bebe a água do rio Jordão e recebe o alimento enviado por Deus através de Corvos.

O poderoso Elias se prepara para cumprir uma grande profecia. Um dia a idolatria e os falsos deuses trarão a escuridão à Terra Prometida. Ele será um dos últimos profetas vivos. Nesse dia, ele confrontará as forças do mal. Ele representará Javé enquanto uma rainha poderosa representará as maligno deus Baal. Essa será uma batalha decisiva para que as forças do bem prevaleçam. E o jovem profeta já provou o seu valor quando trouxe de volta a vida o filho de uma viúva na cidade de Sarepta.

Samar

Existem lugares sagrados por toda a Terra. Certamente, o mais famoso desses lugares está no monte Sião onde a cidade de Jerusalém foi construída. No entanto, outros lugares possuem uma ligação com o mundo espirtual igualmente poderoso. Um desses lugares é o monte Gerizim, onde o grande profeta Moisés discursou para todas as Doze Tribos de Israel sobre a história e a Lei de Deus antes.

Hoje, o local atrai profetas e devotos de muitas religiões de origens israelitas que homenageiam o Deus Único e de origens canaanitas com seus muitos deuses. O local pertence ao rico proprietário de nome Samar, o que fez seu nome ficar famoso em toda a terra de Canaã. Afinal, muitos consideram uma oração nas terras de Samaria tão ou mais poderosa quanto aquelas no monte Sião. Muitos profetas até já disseram que uma cidade será construída na região para se tornar uma capital para os povos de Israel.

Belzebu

Os cultos canaanitas não acreditam que o todo-poderoso El seja um deus único, mas um deus supremo que criou a humanidade e gerou todo os outros deuses. Ele se casou com a esposa-divina Aserá com quem teve muitos filhos. O maior desses filhos chama-se Adad, que alcançou a liderança do panteão após derrotar os seus irmãos Yam e Mot. No entanto, outros filhos do supremo El ainda desejam ocupar o trono que hoje está ocupado por Baal Hadad. Entre eles, está o “Senhor das Moscas”, que no idioma canaanita é chamado de “Baal Zebub” ou simplesmente “Belzebu”.

O Senhor das Moscas certamente é o maior inimigo do atual líder divino Baal. Os sacerdotes de seus antigos rivais Yam e Mot já aceitam e organizam os cultos desses desses deuses respectivamente nos reinos dos mares e no mundo espiritual. O Senhor das Moscas, por outro lado, busca tomar o lugar do seu rival numa aliança com os homens. Ele reúne muitos sacerdotes com poderes obscuros de grande destruição e pestilência através de um pacto obscuro. Essa é a razão de também ser chamado de “deus do pacto” ou “Baal Berith” no idioma canaanita. O seu plano é  arremessar o seu adversário Baal no fosso profundo, a mais obscura das profundezas. Enquanto isso, os sacerdotes do Baal comparam Belzebu a uma monte de estrume e por isso seus seguidores se relacionam tanto com as moscas.