Gade

A tribo dos Destemidos

Pietro della Vechia 1603-1678

Governante: Hilel.
Território: Tribo de Gade.
Símbolo: a Espada em Ataque.

O patriarca Abraão recebeu a revelação de que existe apenas o Deus único e verdadeiro, que lhe prometeu uma descendência próspera e numerosa. Abraão assim teve doze bisnetos cujos descendentes remontam as doze tribos de Israel que governam a terra de Canaã. O descendente chamado Gade recebeu a profecia de seu pai Jacó: “Você será atacado por um bando de ladrões, mas depois os perseguirá”. Essa profecia se tornou ainda mais verdadeira no tempo recente quando os amonitas invadiras as terras dessa tribo. 

Os amonitas avançaram contra as terras de Israel conquistando as cidades da tribo de Rubén que até hoje dominam.  Eles atravessaram o rio Jordão para avançar em seguida sobre a tribo de Gade. Felizmente, um heroico líder surgiu para confrontar os invasores amonitas do Leste. Os guerreiros de Gade são conhecidos como ferozes guerreiros e hábeis nos instrumentos da guerra, mas a liderança sobre os violentas capangas que trouxe consigo se tornou essencial. O inimigo foi expulso das terras da tribo de Gade de uma vez por todas. No entanto, as terras vizinhas de Rubén ainda estão sob o jugo iminente de forma que a guerra continuará.

 

Jefté

O juiz Jefté foi expulso de sua casa pelo próprio pai Gileade por ser filho de uma mulher canaanita. Ele foi viver na cidade de Tobe realizando serviços levianos. Tudo mudou quando os amonitas entraram em guerra contra os israelitas. O líder Jefté se mostrou valoroso e guerreiro, tendo sua liderança afirmada pelos anciões da tribo. Ele foi escolhido para ser o “Juiz de Gade”. O guerreiro primeiro recusou, pois quando ele fora expulso por seus irmãos de sua própria casa ninguém o ajudou, Ele só aceitou guerrear quando seu pai faleceu no combate contra o inimigo. 

O líder Jefté tentou negociar com o invasor, mas não obteve sucesso. A declaração de guerra foi proferida. Antes de partir para a guerra ele fez ao Deus único e verdadeiro. Ele prometeu: “caso eu retorne vitorioso, prometo oferecer o que tenho de maior valor em sacrifício ao Senhor”. No fim, Jefté retornou vitorioso, mas logo encontrou a sua filha única e virgem. Reconhecendo sua promessa, o Juiz entregou sua filha ao seu Deus em total holocausto. Ele não tinha conhecimento que esse ato é considerado uma abominação intolerável ao Deus único e verdadeiro. Esse juiz tem sido o maior exemplo de que o atual forma de governança política em Israel está falida, pois seus lideres nem mesmo conhecem as leis de Deus.

James Tissot (1836-1902)

Abdão

O guerreiro Abdão lutou ao lado das forças israelitas contra os amonitas ao lestes que conquistaram as terras da tribo de Rubém. Felizmente, não tiveram sucesso nas terras de Gade graças ao valor dos guerreiros dessa tribo e a liderança do líder Jefté. O bom guerreiro Abdão mantém seu braço firme para lutar e se prepara para avançar até a libertação do povo de Rubém.

Infelizmente, algo tem impedido a tribo de Gade de continuar o seu avanço. O crime recente cometido por Jefté mostra total impiedade e falta de conhecimento sobre seu Deus. Ele assassinou a própria filha virgem num sacrifício divino de agradecimento. A grande maioria dos guerreiros não desejar mais lutar ao lado de um pecador como Jefté. Por esse motivo, o bravo Abdão é o mais qualificado em assumir o seu lugar após os desastrosos erros de Jefté.

 

Belgade

O famoso Belgade possui poderes que afetam a probabilidade a seu favor, fazendo com que coisas improváveis ​, mas não impossíveis, ocorram dentro de sua linha de visão. Ele assim faz com que tenha “boa sorte” e seus oponentes tenham “má sorte”. Esse fenômeno pode ser qualquer coisa, desde uma falha no arco de um inimigo ou escapar de uma chuva de flechas que caem sobre uma cidade. Esses poderes são inconscientes de forma queA extensão total de seus poderes ainda é desconhecida.

Parece até ter sido uma grande sorte a mãe de Belgade escolher esse nome, pois pode ser traduzido como “Senhor da Sorte” (“Baal Gade”) no idioma israelita. A boa ventura sempre foi considerada uma benção divina pelos povos canaanitas de forma que a fama de Belgade se espalha desde Aram até a Arábia. Algumas pessoas já começam a lhe seguir em busca de serem abençoados pela mesma fortuna. Ele, no entanto, prefere viajar sozinhos pelas terras de Canaã para lugares que não o conheçam. Afinal, ele não deseja seguidores. Ele não tem nada para ensinar para as outras pessoas. De qualquer forma, estas continuam a aparecer em seu caminho.

James Tissot (1836-1902)

Liluri e Manuzi

Os cultos canaanitas não acreditam que o todo-poderoso El seja um deus único, mas um deus supremo que criou a humanidade e gerou todo os outros deuses. Ele se casou com a deusa-mãe Aserá com quem teve muitos filhos. O maior desses filhos chama-se Baal Adad, que alcançou a liderança do panteão após derrotar os seus irmãos. Primeiro, ele arremessou Yam ao mar com suas duas poderosas maças chamadas de Yagrush e Yamur. Depois, enfrentou Mot nas profundezas do mundo onde teria sido derrotado caso a deusa-virgem Anat não o tivesse resgatado.

Quando foi derrotado por Mot, as duas maças do deus Baal Hadad caíram em diferentes locais da Terra. Por muito tempo, se acreditou que essas maças haviam se perdido, mas na verdade foram encontradas por um homem chamado Manuzi e uma mulher chamada Liluri. Esses dois empunharam suas armas divinas. As armas lhes concederam a imortalidade e poderes sobre os elementos do clima. Raios, chuva, neve, neblina e ventos são alguns dois poderes que ambos são capaz de realizar. Eventualmente, o destino uniu ambos após viver muitas aventuras separadamente. Manuzi e Liluri se casaram. E hoje vivem a eternidade juntos sobre as montanhas, sendo considerados os deuses do clima do panteão canaanita.