Damasco

A Tribo sob Controle Assírio

Governante: Rezon

A região de Aram fica entre as as terras da Mesopotâmia e de Canaã, servindo de ponte para esses dois povos através de seu território desértico. Embora a terra não seja ão fértil quanto seus vizinhos, as rotas comerciais que atravessam esse território com muitas riquezas. Durante a era de outro dos homens, nos tempos dos sumérios, essa era uma região independente que foi marcada pelo confronto entre as cidade de Ebla e Mari. Infelizmente, a rivalidade entre essas cidades acabou por ser sua perdição. Elas foram destruídas pelo império Babilônico de Nabucodonosor e seus territórios foram anexados aos seus conquistadores.

  Apenas recentemente, com a queda da Babilônia e a decadência do império Hitita, essas terras conseguiram sua independência mais uma vez. As cidades de Damasco, Hamate e Rehob se uniram sob a liderança de um líder chamado Rezon, o Sírio, para formar o seu o próprio império. Assim, nasceu o Reino de Aram, que oeste líder governa até os dias atuais. O seu governo foi marcado com sua rivalidade contra o rei Salomão de Israel, cujo raio de influência se estendeu desde o Egito até a Mesopotâmia, mas suas fronteiras ao norte se encerram abruptamente em Aram. E a situação entre esses dois povos certamente deve pior. Visto a queda do reino de Salomão nestes últimos anos de sua vida, o reino de Aram pode muito bem ter a oportunidade que deseja para expandir suas fronteiras contra esse velho rival.  

 

Ben-Hadade

O rei Ben-Hadade lidera os exércitos do reino de Aram que faz fronteira com as terras israelitas. Ele é filho do príncipe arameu Tabrimon e é o sucessor do seu avô, o rei Rezon. Não há dúvidas que Ben-Hadade é um dos líderes mais relevante de seu tempo com coragem e poder o bastante para atacar os próprios assírios na sua fronteira norte. Ele é um líder belicoso que conta com mais de vinte mil soldados e mil carruagens de guerra.

Felizmente, apesar do conflito da rivalidade entre seu avó Rezon e o rei Salomão, as fronteiras do reino de Aram com as terras de Israel estão em relativa paz porque este rei está em confronto contra um líder revoltosos de suas terras chamado de Nazael da cidade de Hamate. No entanto, o líder deste reino do norte não merece confiança e um ataque contra as terras israelitas pode surgir a qualquer momento.

 

Nazael

Líder revoltoso. Nazael, ungido por Elias como rei da Síria (Damasco)

 

Shamash

Os cultos canaanitas não acreditam que o todo-poderoso El seja um deus único, mas um deus supremo que criou a humanidade e gerou todo os outros deuses. Ele se casou com a esposa-divina Aserá com quem teve muitos filhos. O maior desses filhos chama-se Baal Adad, que alcançou a liderança do panteão após derrotar os seus irmãos. Primeiro, ele arremessou Yam ao mar com suas duas poderosas maças chamadas de Yagrush e Yamur. Depois, enfrentou Mot nas profundezas do mundo onde teria sido derrotado caso a deusa-virgem Anat não o tivesse resgatado. Ela avançou contra o deus maligno, partindo-o com uma lâmina, triturando-o como com uma peneira, queimando-o no fogo e arremessando os seus restos mortais sobre um campo para os pássaros devorarem.

A divindade chamada de Shamash é considerada a deusa da Justiça e da Verdade. Ela quem arbitrou ao fim do conflito entre Adad, Yam e Mot, que o título de deus do panteão seria de Baal Adad. Ela assim tomou para si o título de juiza dos deuses. Ela é filha do deus-supremo El, que gerou todos os outros deuses do panteão canaanita. Ela é a própria deusa-solar que está no firmamento chamada de a “Tocha dos Deuses”, que observa do alto as ações humanas para premiar aqueles que fazem o bem e punir aqueles que fazem o mal. Muito além dessa função de executora da justiça divina, Shamash desce nos horizontes no Oeste até os subterrâneos todas as noites em preparação para o nascer do sol nos horizontes do Leste. Ela é vista como uma manifestação do deus El para iluminar os homens, a “Luz Divina”, sendo sua adoração realizada ficando de joelhos em oração na direção do Leste.