Aser

A Tribo entre o Profano

James Tissot (1836–1902)

Governante: Satatna
Território: Tribo de Aser
Símbolo: o Alimento Frutífero

O patriarca Abraão recebeu a revelação de que existe apenas o Deus único e verdadeiro, que lhe prometeu uma descendência próspera e numerosa. Abraão assim teve doze bisnetos cujos descendentes remontam as doze tribos de Israel que governam a terra de Canaã. O bisneto chamado Aser recebeu a profecia do pai Jacó: “A sua terra produzirá bons alimentos, dará alimentos que só reis merecem”. Hoje, a terra de Aser realmente é próspera e frutífera, mas os seus habitantes esqueceram o que foi revelado ao patriarca.

A proximidade da terra com povos tão heréticos como os fenícios em sua fronteira contaminou as crenças da tribo de Aser. Eles aceitam os cultos à vários deuses em especial o culto ao líder do panteão canaanita a que chamam de Baal Adad. A própria governante desta terra chamada de Satatna clama seu amor a esta divindade e por isso tomou o título de Baalat. Ela assim deseja que os seus habitantes a venerem como uma deusa assim como os seus egípcios veneravam os seus faraós. A poderosa Satatna veste uma coroa de plumas e é adepta de comportamentos condenados pelos Deus de Abraão como sacrifícios de crianças e orgias no seu palácio.

Os habitantes que mantém a fé ao Deus Único clama ao sacerdotes de Siló para reunir as outras tribos e os salvarem de tanto pecado. No entanto, com a profana terra da fenícia tão próxima, nada podem fazer. Afinal, está não é uma guerra física a ser combatida com exércitos, mas uma guerra cultural e espiritual que deve ocorrer nas mentes das pessoas. Aos sacerdotes de Siló, resta apenas orar por Aser.

 

Arsay

A rainha Satatna não possui um esposo, mas gerou uma filha chamada Arsay. Para os opositores da rainha, a princesa Arsay é fruto de sua vida lasciva, tão cheia de amantes e orgias, que é impossível distinguir qualquer paternidade. No entanto, a rainha clama que o próprio deus Baal gerou a criança nela.

A princesa Arsay cresceu como a filha de uma divindade. Hoje, é uma mulher jovem e bonita que tomou para si o cargo de sacerdotisa do seu divino pai Baal. Ela rege o templo subterrâneo na cidade de Acre que guarda o caminho às profundezas que levam ao mundo espiritual. Por esse motivo, a princesa também foi elevada a um status divino como a deusa do submundo.

James Tissot (1836–1902)

Suta

Quatrocentos anos atrás, um exército canaanita chamado de Hicsos invadiu as terras do Egito com carruagens de bronze e ferocidade sem igual. Eles dominaram as terras egípcias em nome do deus Baal Hadad, que para os egípcios foi reconhecido como o traiçoeiro deus Seti, por quase um século. A invasão só foi contornada com o nascimento do deus Hórus, que derrotou Baal-Seti na Grande Batalha e trouxe a paz ao Egito. Os egípcios prometeram a si mesmo que nunca mais deixariam algo assim ocorrer. Por esse motivo, eles mantém uma presença ativa nas terras de Canaã.

O diplomata Suta veio às terras de Canaã sob as ordens do faraó do Egito. Ele deve reportar ao seu soberano sobre possíveis atividades perigosas ao Egito. Afinal, desde a grande batalha que houveram situações as quais foi necessário usar as forças militares para pacificar essa instável região como nos tempos do faraó Tutmés II e Amenófis. Infelizmente, o diplomata vem notando muita agitação entre os povos israelitas com um sentimento popular para um governo central que os governe. Ele tem avisado sobre um grupo de extremista rebeldes que os egípcios chamam de Habiru e que os israelita pronunciam Hebreus.

 

Marcode

O talentoso Marcode possui poderes de cura milagrosa que o fizeram famoso por toda a Canaã. Ele também é famoso por seu carisma e capacidade de reunir multidões. Muitos o buscam para ter suas doenças sanadas, mas muitos continuam o seguindo na busca de um novo estilo de vida de pura exaltação. A fama de Marqod cresceu graças aos seus famosos rituais com muita música e dança.

Os devotos de Marcode costumam se reunir para cantar louvores em homenagem aos deuses. Todos ficam entorpecidos de álcool. Todos devem dançar e se animar. E tudo muitas vezes se encerra em orgias ritualísticas. O objetivo é alcançar o êxtase espiritual através das sensações físicas. Muitos dos seus seguidores hoje o consideram um deus, é o deus da dança.

Tissot_The_Songs_of_Joy

James Tissot (1836–1902)

Baal Adad

Os cultos canaanitas não acreditam que o todo-poderoso El seja um deus único, mas um deus supremo que criou a humanidade e gerou todo os outros deuses. Ele se casou com a esposa-divina Aserá com quem teve muitos filhos. O maior desses filhos chama-se Baal Adad, que alcançou a liderança do panteão após derrotar os seus irmãos. Primeiro, ele arremessou Yam ao mar com suas duas poderosas maças chamadas de Yagrush e Yamur. Depois, enfrentou Mot nas profundezas do mundo onde teria sido derrotado caso a deusa-virgem Anat não o tivesse resgatado.

Após, esses eventos, ambos Baal Hadad e Anat se casaram. Hoje, eles governam a criação de seu majestoso palácio no alto do monte Zephom construído pelo deus-ferreiro Kothar, o Sábio. No entanto, os inimigos são muitos. Yam e Mot desejam sua revanche para dominarem o panteão. Felizmente, o deus supremo El escutou o conselho da deusa Shapash, a tocha dos deuses, a mais justa dos panteão, para tomar o lado de Baal Hadad. Hoje, Baal Hadad reina sobre todos os deuses canaanitas, não sem que aja outras oposições como o deus Belzebu que deseja tomar o seu lugar no coração dos homens. No entanto, sua preocupação maior ainda é Mot que se mantém no mundo espiritual, mas pode ressurgir como o Anjo da More a qualquer momento para dia do Juízo Final se o supremo El assim desejar.