Livro de Adão

O Livro Primeiro de Adão é é um livro pseudoepígrafo cristão encontrado na Etiópia em Árabe, tendo sido datado como sendo do século V ou VI. Este livro começa imediatamente após a expulsão do Jardim do Éden na qual Grande ênfase é colocada sobre a tristeza de Adão e sua impotência diante do mundo fora do jardim.

Capítulo 1: Expulsão

1.1 Ao terceiro dia Deus plantou o jardim a leste da terra, no extremo leste do mundo, além do qual, em direção ao levante, não se acha nada além de água que circunda o mundo inteiro e alcança os limites do céu.

1.2 E ao norte do jardim há um mar de água, claro e puro ao paladar, como nada iguala; de maneira que, através de sua transparência, pode-se olhar para as profundezas da terra.

1.3. E quando um homem lava-se nela, torna-se limpo por sua limpidez e branco por sua brancura, mesmo que ele estivesse escuro.

1.4. E Deus criou este mar de Seu próprio agrado, pois Ele sabia o que seria do homem que Ele iria fazer; assim, após deixar o jardim por causa de sua desobediência, nasceriam homens na terra, dentre os quais morreriam os justos cujas almas Deus faria ressurgir no último dia; quando então voltariam à sua carne, banhar-se-iam na água do mar e todos se arrependeriam de seus pecados.

1.5. Mas quando Deus fez Adão sair do jardim, Ele não o colocou na fronteira norte, para que não se aproximasse do mar de água e ele e Eva se lavassem nele e se tornassem limpos de seus pecados, esquecendo a desobediência cometida.

1.6. Então, novamente, quanto ao lado sul do jardim, não agradava a Deus permitir a Adão lá habitar; pois, quando o vento soprasse do norte, trar-lhe-ia, no lado sul, o delicioso aroma daquelas árvores do jardim.

1.7. Por isso Deus não colocou Adão ali para que não aspirasse o doce aroma daquelas árvores, esquecendo sua desobediência e encontrando alívio ao se deliciar com o aroma das árvores e assim se limpasse de sua desobediência.

1.8. Novamente, também, porque Deus é misericordioso e de grande piedade e governa todas as coisas de uma maneira que somente Ele sabe , Ele fez nosso pai Adão habitar na fronteira oeste do jardim, porque daquele lado a terra é muito extensa.

1.9. E deus ordenou-lhe que ali habitasse numa caverna dentro da rocha, a Caverna dos Tesouros, abaixo do jardim.

2.1. Mas quando nosso pai Adão e Eva saíram do jardim, palmilharam o chão com seus pés sem saber por onde caminhavam .

2.2. E quando chegaram à abertura dos portões do jardim e viram a terra vasta estendendo-se diante deles, coberta de pedras grandes e pequenas e de areia tiveram medo e tremeram, prostrando-se com suas faces no chão, acometidos pelo medo; e jaziam como mortos.

2.3. Porque haviam estado até então na terra do jardim, belamente plantada com toda espécie de árvores e agora se viam numa terra estranhaque não conheciam e nunca tinham visto.

2.4. E porque naquele tempo eles eram cheios de graça e de uma natureza luminosa e não tinham o coração voltado para as coisas terrenas.

2.5. Porisso Deus teve piedade deles; E quando Ele os viu caídos defronte ao portão do jardim enviou Sua Palavra ao pai Adão e a Eva e ergueu-os de sua prostração.

3.1. Deus disse a Adão : “Eu ordenei os dias e os anos nesta terra e tu e tua descendência deverão habitar e caminhar nela, até se cumprirem os dias e os anos; Então Eu enviarei a Palavra que te criou e à qual tu desobedeceste, a Palavra que te fez sair do jardim e que te ergueu quando tu estavas caído.

3.2. “Sim, a Palavra que te salvará novamente quando os cinco dias e meio estiverem consumados. ”

3.3. Mas ao ouvir estas palavras de Deus, acerca dos grandes cinco dias e meio, Adão não entendeu o seu significado.

3.4. Pois Adão estava pensando que haveria somente cinco dias e meio para ele até o fim do mundo.

3.5. E Adão chorou e suplicou a Deus que lhe explicasse isto.

3.6. Então Deus , em Sua Misericórdia por Adão, que fora feito segundo Sua própria imagem e semelhança, explicou-lhe que estes eram cinco mil e quinhentos anos; e como o Um viria para salvá-lo e à sua descendência.

3.7. Mas Deus fizera antes disso esta aliança com nosso pai Adão, nos mesmos termos, quando ele saiu do jardime se encontrava junto à árvoreda qual Eva tomara do fruto e lho dera a comer.

3.8. Porquanto, ao sair do jardim, nosso pai Adão passou por aquela árvore e viu como Deus então havia mudado sua aparência para uma outra forma e como ela ressecara .

3.9. E aproximando-se dela Adão teve medo, tremeu e caiu; mas Deus, em ?Sua misericórdia, ergueu-o e então fez esta aliança com ele.

3.10. E, novamente, quando Adão estava junto ao portão do jardim e viu o querubim, com uma espada de fogo fulgurante na mão, encolerizar-se e fitá-lo com desagrado, tanto ele quanto Eva ficaram com medo dele e pensaram que ele tencionava matá-los. Assim eles prostraram-se e tremeram de medo.

3.11. Mas ele apiedou-se deles e mostrou-lhes misericórdia; E, voltando-se, subiu ao céu e suplicou ao Senhor e disse :

3.12. “Senhor, Vós me enviastes para guardar o portão do jardim com uma espada de fogo.

3.13. “Mas quando Vossos servos Adão e Eva viram-me, prostaram-se e ficaram como mortos. Ó
meu Senhor, que devemos fazer com Vossos servos ?”

3.14. Então Deus apiedou-se deles e mostrou-lhes misericórdia, e enviou Seu anjo para guardar o
jardim.

3.15. E a Palavra do Senhor veio a Adão e Eva e ergueu-os.

3.16. E o senhor disse a Adão: “Eu te disse que ao final dos cinco dias e meio Eu enviaria minha
Palavra e salvar-te-ia.

3.17. “Fortalece pois teu coração e habita na Caverna dos Tesouros, da qual Eu te falei antes”

3.18. E quando Adão ouviu esta Palavra de Deus ele foi consolado pelo Deus que lhe tinha dito.
Pois Ele lhe dissera como o salvaria.

II: Lamento

4.1. Mas Adão e Eva choraram por terem de sair do jardim, a sua primeira habitação.

4.2. E, certamente, quando Adão olhou para sua carne, que estava alterada, chorou amargamente, ele e Eva, pelo que haviam feito. E eles caminharam e desceram docilmente para a Caverna dos Tesouros.

4.3. E ao chegarem Adão lamentou-se e disse a Eva : “Olha para esta caverna que será nossa prisão neste mundo. É um lugar de castigo!

4.4.”Que é isto comparado com o jardim ? Que é esta estreiteza comparada com o espaço do outro?

4.5.”Que é esta rocha ao lado destas grutas? Que são as trevas desta caverna comparadas à luz do jardim?

4.6.”Que é esta lápide de rocha suspensa para nos abrigar comparada à misericórdia do Senhor que nos acolhia ?

4.7.”Que é o solo desta caverna comparado à terra do jardim ? Esta terra, coberta de pedras e aquela plantada com deliciosas árvores frutíferas ?”

4.8. E Adão disse a Eva : “Olha para teus olhos e para os meus, que dantes viam anjos no céu louvando; e eles, também, sem cessar.

4.9. “Mas agora nós não vemos como víamos: nossos olhos são de carne; não podem ver da mesma maneira como viam antes.”

4.10. Adão disse novamente a Eva : “Que é nosso corpo hoje comparado ao que era em dias
passados, quando habitávamos no jardim ?”

4.11. Após isso, Adão não gostou de ter de entrar na caverna, sob a rocha suspensa, nem entraria nela jamais por vontade própria.

4.12.Mas curvou-se às ordens de Deus e disse a si mesmo : “A não ser que eu entre na caverna
serei novamente desobediente”.

5.1. Então Adão e Eva entraram na caverna e permaneceram em pé, orando em sua própria língua, desconhecida para nós mas que eles bem conheciam.

5.2. E enquanto oravam, Adão ergueu os olhos e viu acima de sua cabeça a rocha e o teto da caverna que o cobria, de maneira que não podia ver nem o céu nem as criaturas de Deus. Então ele chorou e golpeou pesadamente seu peito até que caiu e ficou como morto.

5.3. E Eva sentou-se chorando pois acreditava que ele estivesse morto.

5.4. Então ela ergueu-se, estendeu suas mãos a Deus pedindo-lhe misericórdia e piedade e disse : “Ó Deus, perdoai-me o meu pecado, o pecado que cometi e não o volteis contra mim.

5.5.”Pois fui eu quem provocou a queda de Vosso servo, do jardim para este lugar perdido; da luz para esta escuridão; E da morada da alegria para esta prisão.

5.6.”Ó Deus, olhai para este Vosso servo assim caído e ressuscitai-o de sua morte para que ele possa se lamentar e arrepender de sua desobediência cometida através de mim.

5.7.”Não leveis sua alma desta vez; mas deixai-o viver para que ele possa expiar sua culpa segundo a medida de seu arrependimento e fazer Vossa vontade antes de sua morte.

5.8.”Mas se Vós não o ressucitardes, então, ó Deus, levai minha própria alma para que eu esteja com ele; E não me deixeis neste antro só e abandonada pois eu não suportaria ficar só neste mundo, mas com ele somente.

5.9. “Pois Vós, ó Deus, fizeste cair uma sonolência sobre ele e tomaste um osso de seu lado e restauraste a carne em seu lugar, por Vosso poder divino.

5.10.”E Vós me tomaste, o osso, e fizeste uma mulher, luminosa como ele, com coração, razão e fala; E de carne como ele mesmo; E Vós me fizeste à semelhança de seu semblante, por Vossa misericórdia e poder.

5.11.”Ó Senhor, eu e ele somos um e Vós, ó Deus, sois o nosso Criador, Vós sois Aquele que nos fez a ambos no mesmo dia.

5.12.”Portanto, ó Deus, dai-lhe vida para que ele possa estar comigo nesta terra estranha, enquanto nós morarmos nela por causa de nossa desobediência.

5.13.”Mas se Vós não quiserdes dar-lhe vida, então levai a mim, até a mim, como ele; Para que nós dois possamos morrer da mesma maneira.

5.14. E Eva chorou amargamente e caiu sobre nosso pai Adão, por causa de sua grande tristeza.

III: Aliança

6.1. Mas Deus olhou para eles; Pois eles se haviam matado pelo grande pesar.

6.2. Mas Ele queria ressuscita-los e consola-los.

6.3. Portanto enviou-lhes Sua Palavra a fim de que eles ficassem em pé e fossem ressuscitados imediatamente.

6.4. E o Senhor disse a Adão e Eva : “ Desobedecestes por vossa livre vontade, até que saístes do jardim no qual Eu vos havia colocado.

6.5. “ Por vossa própria e livre vontade desobedecestes por causa de vosso desejo de divindade, grandiosidade e condição sublime, tal qual Eu tenho; Assim Eu vos privei da natureza luminosa na qual estáveis então e vos fiz sair do jardim para esta terra rude e cheia de sofrimento.

6.6. “Se ao menos não tivésseis desobedecido ao Meu mandamento e tivésseis guardado Minha lei e não tivésseis comido do fruto da árvore, da qual Eu vos disse que não vos aproximásseis! E havia árvores frutíferas no jardim melhores que aquela .

6.7. “Mas o maldoso Satã, que não se manteve em sua primitiva condição nem conservou sua fé – nele não havia boa intenção em relação a Mim e, embora Eu o tivesse criado, ainda assim Me desprezou e buscou a divindade, de modo que Eu o atirei do céu para baixo – . ele foi quem fez a árvore parecer agradável a vossos olhos, até que comestes dela, obedecendo-lhe.

6.8. “Assim desobedecestes ao Meu mandamento e , portanto, Eu fiz cair sobre vós todas essas tristezas.

6.9. “Pois Eu sou Deus o Criador, aquele que quando criou as criaturas, não tencionava destruí-las. Mas depois de terem provocado grandemente Minha ira, Eu as puni com castigos atrozes, para que se arrependessem .

6.10. “Mas, se, ao contrário, elas ainda se mantivessem firmes em sua desobediência, serão amaldiçoadas para sempre.“

7.1.Quando Adão e Eva ouviram estas palavras de Deus choraram e soluçaram ainda mais; mas fortaleceram seus corações em Deus, porque agora sentiam que o Senhor era para eles como um pai e uma mãe e, por esta mesa razão, choraram diante D´Ele e buscaram sua misericórdia.

7.2. Então Deus apiedou-se deles e disse : ” Ó Adão, Eu fiz Minha aliança contigo; e não voltarei atrás; nem permitirei que retornes ao Jardim até que Minha aliança dos grandes cinco dias e meio se cumpra”.

7.3. Então Adão disse a Deus: ” Ó Senhor, Vós nos criastes e nos fizestes aptos a estar no jardim; e antes de eu desobedecer, Vós fizestes todas as feras virem até mim a fim de que eu as nomeasse.

7.4. ” Vossa graça estava então sobre mim; e eu nomeei a cada uma de acordo com Vosso pensamento; e Vós as fizestes todas submissas a mim.

7.5. ” Mas, ó Senhor, agora que eu desobedeci ao Vosso mandamento, todas as feras levantar-se-ão contra mim e me devorarão e a Eva, Vossa serva; e eliminarão nossa vida da face da terra.

7.6. ” Suplico-Vos, portanto, ó Deus, que, desde que Vós nos fizestes sair do jardim e ficar numa terra estranha, não permitais que as feras nos causem mal.”

7.7. Quando o Senhor ouviu estas palavras de Adão apiedou-se dele e sentiu que ele dissera a verdade, que as feras do campo se levantariam e o devoraria e a Eva, porque Ele, o Senhor, estava irado com os dois por causa de sua desobediência.

7.8. Então Deus ordenou às feras e aos pássaros e a tudo que se move sobre a terra, que viessem a Adão e se afeiçoassem a ele e não o perturbassem, nem a Eva; nem ainda aos bons e justos dentre os de sua posteridade.

7.9. Então as feras prestaram obediência a Adão, de acordo com o mandamento de Deus; exceto a serpente, com quem Deus estava irado. Esta não veio a Adão, junto com as feras.

8.1. Então Adão chorou e disse: ” Ó Deus, quando eu morava no jardim e havia enlevo em nossos corações, víamos os anjos que cantavam louvores no céu, mas agora não os vemos mais; ao entrarmos na caverna, toda a criação ocultou-se de nós”.

8.2. Então Deus, o Senhor, disse a Adão : ” Quando tu eras obediente a Mim, tinhas uma natureza luminosa em ti e por esta razão podias ver coisas muito distantes. Mas após tua desobediência a natureza luminosa foi-te retirada; e não te foi mais permitido ver coisas distantes mas apenas as bem próximas, aquelas ao alcance de tuas mãos e segundo a capacidade da carne; pois esta é grosseira”.

8.3. Após ouvirem estas palavras de Deus, Adão e Eva seguiram seu caminho louvando-O e
adorando-O com o coração pesaroso.

8.4. E Deus interrompeu a comunicação com eles.

IV: Sofrimento

9.1. Então Adão e Eva deixaram a Caverna dos Tesouros e aproximaram-se do portão do jardim e ali pararam a olhar para ele e choraram por dele terem saído.

9.2. E Adão e Eva partiram da frente do portão do jardim em direção ao sul e encontraram ali a água que irrigava o jardim, a água da raiz da Árvore da Vida e que se dividia em quatro rios que corriam pela terra.

9.3. Então eles vieram e aproximaram-se desta água e olharam para ela; e viram que era a água que brotava da raiz da Árvore da Vida que estava no jardim.

9.4. E Adão chorou e gemeu e golpeou seu peito por estar afastado do jardim; e disse a Eva :

9.5. ” E por que tu trouxeste sobre mim, sobre ti mesma e sobre nossa descendência tantos flagelos e castigos ?”

9.6. E Eva disse-lhe: ” Que foi que tu viste para chorar e falar-me assim ? ”

9.7. E disse ele a Eva : ” Não vês esta água que estava conosco no jardim e que irrigava as árvores do jardim e de lá corria?

9.8. “E nós, quando estávamos no jardim, não nos importávamos com isto; mas desde que viemos para esta terra estranha, nós a amamos, e faremos uso dela para nosso corpo.”

9.9. Mas quando Eva ouviu dele essas palavras, chorouo; e cheios de dor e gemendo, caíram na água; e ali teriam acabado consigo mesmos, a fim de nunca mais voltar a ver a criação; pois quando eles olharam para a obra da criação, sentiram que deviam pôr um fim a si mesmos.

10.1. Então Deus, misericordioso e benevolente, olhou para eles assim caídos na água tão próximos da morte e enviou um anjo que os tirou da água e deitou-os na praia como mortos.

10.2. Então o anjo subiu até Deus, foi bem-vindo e disse : ” Ó Deus, Vossas criaturas deram seu último suspiro.”

10.3. Então Deus enviou Sua Palavra a Adão e Eva e os ressuscitou de sua morte.

10.4. E Adão disse, após haver sido ressuscitado: “Ó Deus, enquanto estávamos no jardim nem nos importávamos com esta água nem dela necessitávamos; mas desde que viemos para esta terra não podemos passar sem ela ”

10.5. Então Deus disse a Adão: ” Enquanto estavas sob Meu comando e eras um anjo luminoso, não conhecias esta água.”

10.6. ” Mas após teres desobedecido ao Meu mandamento, não podes passar sem água para lavar teu corpo e fazê-lo crescer; pois este é agora como o das feras e necessita de água.”

10.7. Quando Adão e Eva ouviram essas palavras de Deus choraram um choro amargo; e Adão suplicou a Deus que lhe permitisse voltar ao jardime olhar para ele uma vez mais.

10.8. Mas Deus disse a Adão: “Eu te fiz uma promessa; quando esta promessa for cumprida, Eu te trarei de volta ao jardim, a ti e à tua descendência justa”. E Deus parou de se comunicar com Adão.

11.1. Então Adão e Eva sentiram-se queimando de sede e calor e tristeza.

11.2. E Adão disse a Eva: “Não devemos beber desta água, mesmo se morrermos. Ó Eva, quando esta água penetrar em nossas entranhas, aumentará nossos castigos e os de nossos filhos que virão depois de nós”.

11.3. Adão e Eva abstiveram-se então da água e não beberam nada; Mas caminharam e entraram na Caverna dos Tesouros.

11.4. Mas uma vez dentro dela Adão não podia ver Eva; ele apenas ouvia o ruído que ela fazia. Nem ela podia ver Adão, mas ouvia o ruído que ele fazia.

11.5. Então Adão chorou em profundo sofrimento e golpeou seu peito; e erguendo-se disse a Eva: “Onde estás?”

11.6. E ela lhe disse : “Vê, eu estou nesta escuridão”.

11.7. Ele então lhe disse : “Recorda-te da natureza luminosa na qual vivíamos enquanto habitávamos no jardim!”

11.8.”Ó Eva! Recorda-te da glória que repousava em nós no jardim. Ó Eva! Recorda-te das árvores que faziam sombra sobre nós no jardim enquanto nos movíamos entre elas”.

11.9.”Ó Eva! Recorda-te de que, enquanto estávamos no jardim, não conhecíamos nem a noite nem o dia. Pensa na Árvore da Vida, de sob a qual brotava a água e que derramava brilho sobre nós! Recorda-te, ó Eva, da terra do jardim e da sua luminosidade !”

11.10. “Pensa, oh!, pensa neste jardim onde não havia escuridão enquanto morávamos nele!”

11.11.”Enquanto que, tão logo chegamos a esta Caverna dos Tesouros, a escuridão envolveu-nos; tanto que não mais podemos ver-nos um ao outro; e todo o prazer desta vida chegou a um fim “.

V: Suicídio

12.1. Então Adão golpeou seu peito, e também Eva, e eles prantearam a noite inteira até a aurora se aproximar, e eles lamentaram suspirando a noite longa em Miyazia.

12.2. E Adão agrediu-se e jogou-se no chão da caverna, em amargo pesar, e por causa da escuridão, ali permaneceu como morto.

12.3. Mas Eva ouviu o barulho que ele fez ao cair ao chão. E ela tateou à sua volta procurando-o e encontrou-o como um cadáver.

12.4. Então ela ficou com medo, sem fala e permaneceu junto dele.

12.5. Mas o Senhor misericordioso olhou para a morte de Adão e para o silêncio de Eva por causa do medo da escuridão.

12.6. E a Palavra de Deus chegou a Adão e ressuscitou-o de sua morte, e abriu a boca de Eva para que ela voltasse a falar.

12.7. Então Adão ergueu-se na caverna e disse : “Ó Deus, por que a luz nos deixou e a escuridão nos acometeu ? Por que nos deixais nesta longa escuridão ? Por que nos quereis assim castigar?”

12.8. “E esta escuridão, ó Senhor, onde estava, antes de nos acometer ? Ela é tamanha que não podemos ver um ao outro”.

12.9. “Pois, enquanto estávamos no jardim, não vimos nem mesmo sabíamos o que é a escuridão. E eu não fiquei oculto de Eva, nem ela ficou oculta de mim, até que agora ela não me pode ver; e nenhuma escuridão nos havia acometido antes, separando-nos um do outro”.

12.10. “Mas ela e eu estávamos ambos numa única luz brilhate. Eu a via e ela a mim. Mas agora desde que entramos nesta caverna, a escuridão nos envolveu e nos separou, assim que eu não a vejo e ela não vê a mim”.

12.11. “Ó Senhor, quereis então castigar-nos com esta escuridão ?”

13.1. Então , quando Deus, que é misericordioso e cheio de piedade, ouviu a voz de Adão, lhe disse:

13.2. “Ó Adão, enquanto o bom anjo foi obediente a Mim, a luz brilhante repousava nele e em suas hostes”

13.3. “Mas quando ele desobedeceu Meu mandamento, Eu o privei dessa natureza luminosa, e ele se tornou opaco”.

13.4.” E quando ele estava nos céus, nos domínios de luz, ele não conhecia nada da escuridão”.

13.5. “Mas ele desobedeceu e Eu o fiz cair do céu para a terra; e foi esta escuridão que lhe sobreveio”.

13.6. “E sobre ti, ó Adão, enquanto em Meu jardim e obediente a Mim, esta luz brilhante repousou também sobre ti”.

13.7. “Mas quando Eu soube de tua desobediência, privei-te desta luz brilhante. Ainda assim, por Minha misericórdia, não te transformei em escuridão, mas fiz teu corpo de carne , e sobre ele estendi esta pele, a fim de que suporte o frio e o calor”.

13.8. “Tivesse Eu permitido à Minha ira cair pesadamente sobre ti, serias destruído; e tivesse Eu te transformado em escuridão, seria como se Eu te matasse”.

13.9. “Mas, em Minha misericórdia, fiz-te como és, quando tu desobedeceste ao meu mandamento, ó Adão, expulsei-te do jardim e te fiz chegar a esta terra; e ordenei-te habitar nesta caverna; e a escuridão caiu sobre ti, como caiu sobre aquele que desobedeceu ao Meu mandamento” .

13.10. “Neste caso, ó Adão, esta noite te enganou. A noite não há de durar para sempre; mas por doze horas apenas; quando terminar, a luz do dia retornará”

13.11. “Não lamentes, portanto, nem te alteres, e não digas em teu coração que esta escuridão é longa e se arrasta devagar; e não digas em teu coração que Eu te estou castigando com isto”.

13.12. “Fortalece teu coração e não tenhas medo. Esta escuridão não é castigo. Mas, ó Adão, Eu fiz o dia e coloquei nele o sol para dar luz, a fim de que tu e teus filhos fizésseis o vosso trabalho.

13.13. “Pois Eu sabia que tu irias pecar e desobedecer, e vir para esta terra. Ainda assim Eu não te forçaria, nem seria duro contigo, nem te confinaria; nem te condenaria por tua queda; nem por tua saída da luz para a escuridão; nem mesmo por tua saída do jardim para esta terra”.

13.14. “Pois Eu te fiz de luz; e quis gerar de ti filhos de luz, semelhantes a ti”.

13.15. “Mas um dia tu não guardaste Meu mandamento; antes que Eu terminasse a criação e abençoasse tudo nela”.

13.16. “Então Eu te dei um mandamento acerca da árvore, de não comeres dela. Mesmo assim Eu sabia que Satã , que enganou-se a si próprio, também te enganaria.

13.17. “Assim Eu te fiz saber, por meio da árvore, que não te aproximasses dele. E Eu te disse para que não comesses do seu fruto, nem dele provasses, nem te sentasses debaixo dela”.

13.18. “Não tivesse Eu falado a ti, ó Adão, acerca da árvore, e te deixasse sem um aviso, e tu tivesses pecado, teria sido uma maldade de Minha parte não te dar nenhum aviso; tu te voltarias e Me culparias por isto”.

13.19. “Mas Eu te dei o mandamento e te preveni, e tu caíste. Assim, Minhas criaturas não me podem culpar; porém a culpa recai sobre elas somente”.

13.20. “E, ó Adão, Eu fiz o dia para ti e para teus descendentes que virão depois de ti, para nele
trabalhares e labutarem. E Eu fiz a noite para eles descansarem nela do seu trabalho; e para os
animais do campo saírem à noite e procurarem seu alimento”.

13.21. “Porém, é pouca a escuridão que te resta agora, ó Adão; pois a luz do dia logo surgirá”.

14.1. Então Adão disse a Deus : “Ó Senhor, levai minh’alma , e não me deixeis mais ver estas trevas; ou levai-me a algum lugar onde não haja escuridão”.

14.2. Mas Deus o Senhor disse a Adão: “Em verdade Eu te digo, esta escuridão passará por ti todos os dias que determinei para ti até o cumprimento da Minha aliança; quando então Eu te salvarei e te levarei de novo para o jardim, para a morada de luz que tu almejas, onde não há escuridão. Eu o trarei a ele, ao reino do céu”.

14.3. Novamente Deus disse a Adão: “Toda esta miséria que acarretaste sobre ti por causa da tua desobediência não te libertará das mãos de Satã e ele não te salvará”.

14.4. “Mas Eu, sim, salvar-te-ei. Quando Eu descer do céu e tornar-Me carne da tua descendência, e tomar sobre Mim a enfermidade da qual tu padeces, então a escuridão que caiu sobre ti nesta caverna virá sobre Mim no túmulo, quando Eu estiver na carne da tua descendência”.

14.5. “E Eu, que sou eterno, estarei sujeito à contagem dos anos, dos tempos, dos meses e dos dias, e serei considerado como um dos filhos dos homens, para te salvar”.

14.6. E Deus parou de se comunicar com Adão.

VI: Serpente

15.1. Adão e Eva choraram e entristeceram-se por causa das palavras que Deus lhe dissera, que eles não voltariam ao jardim até o cumprimento dos dias decretados para eles; mas principalmente por haver Deus dito que Ele deveria sofrer para salvá-los.

16.1. O primeiro alvorecer. Adão e Eva pensam que é um fogo vindo para exterminá-los. Depois disso Adão e Eva não pararam de orar e chorar na caverna até que a manhã desceu sobre eles.

16.2. E ao ver a luz sendo-lhes devolvida, deixaram de ter medo e fortaleceram seus corações.

16.3. Então Adão começou a sair da caverna. E quando chegou na boca da caverna, parou e voltou sua face em direção do leste, viu o sol levantar-se em raios brilhantes e sentiu o seu calor no seu corpo; teve medo dele e pensou em seu coração que esta chama vinha para castigá-lo.

16.4. Ele chorou então e golpeou seu peito, e prostou-se com a face na terra e fez seu pedido dizendo:

16.5. “Ó senhor, não me castigueis, nem me destruais, nem tireis já minha vida da terra”

16.6. Pois ele pensou que o sol era Deus.

16.7. Já que enquanto estava no jardim e ouvia a voz de Deus e o som que Ele fazia no jardim e O temia, Adão nunca vira a luz brilhante do sol, nem seu calor flamejante tocara seu corpo.

16.8. Por isso ele ficou com medo do sol quando seus raios ardentes o alcançaram. Ele pensou que com isto Deus tencionava castigá-lo todos os dias decretados por ele.

16.9. Pois Adão também disse em seus pensamentos: “Já que Deus não nos castigou com a escuridão, eis que Ele fez este sol nascer para castigar-nos, queimando-nos com seu calor”.

16.10. Mas, enquanto ele assim pensava no seu coração, a Palavra de Deus veio e lhe disse :

16.11. “Ó Adão, levanta-te e põe-te em pé. Este sol não é Deus; mas foi criado para iluminar o dia. Foi o que Eu te falei na caverna dizendo que a aurora irromperia e haveria luz durante o dia.

17.1. Então Adão e Eva saíram pela boca da caverna e caminharam em direção ao jardim.

17.2. Mas ao aproximarem-se dele, defronte ao portão oeste, do qual viera Satã quando enganou Adão e Eva, encontraram a serpente que se tornara Satã e que tristemente lambia o pó e se arrastava com seu peito no chão, por causa da maldição de Deus.

17.3. A serpente, que antes tinha sido o mais sublime de todos os animais, agora estava mudada e se tornara escorregadia e o pior de todos eles e arrastava-se sobre seu peito e andava sobre seu ventre.

17.4. Considerando que fora o mais belo de todos os animais, mudada, tornou-se o mais feio de todos eles. Em vez de alimentar-se do melhor, agora comia o pó. Em vez de habitar, como antes, os melhores lugares, agora viva no pó.

17.5. E, enquanto era o mais belo de todos os animais, todos emudeciam perante sua beleza; agora
tornara-se abominável.

17.6. E, novamente, enquanto ela habitara uma bela morada, todos os outros animais para ali acorriam; e onde bebesse, eles também bebiam; agora, depois de se tornar venenosa pela maldição de Deus, todos os animais fugiam de sua morada, e não bebiam mais da água que ela bebesse; mas fugiam desta.

18.1. Quando a amaldiçoada serpente viu Adão e Eva, inclinou a cabeça, pôs-se sobre sua cauda e, com os olhos injetados de sangue, fez menção de matá-los.

18.2. E avançou diretamente para Eva e lançou-se atrás dela; enquanto Adão, de lado, chorava por não ter uma vara em suas mãos com a qual pudesse golpear a serpente, e não sabia como matála.

18.3. Mas, com o coração ardendo por Eva, Adão aproximou-se da serpente e a segurou pela cauda; quando então ela se voltou em sua direção e disse :

18.4. “Ó Adão, por causa de ti e de Eva eu sou escorregadia e ando sobre meu ventre.” Então, sendo grande sua força, derrubou Adão e Eva e os esmagou, com intenção de matá-los.

18.5. Mas Deus mandou um anjo que lançou a serpente para longe deles e os ergueu.

18.6. Então a Palavra de Deus veio à serpente, dizendo: “Da primeira vez Eu te fiz loquaz e te fiz andar sobre teu ventre; mas Eu não te havia privado da fala.

18.7. “Agora, ,entretanto, sê muda; e não mais falarás, tu e tua raça; porque da primeira vez a ruína das minhas criaturas aconteceu através de ti, e agora tu querias matá-las”.

18.8. Então a serpente emudeceu e não mais falou.

18.9. E soprou um vento do céu por ordem de Deus e carregou a serpente para longe de Adão e Eva, jogando-a na beira do mar, e ela foi parar na Índia.

VI: Os Animais

19.1. Mas Adão e Eva choraram perante Deus. E Adão disse-Lhe:

19.2. “Ó Senhor, quando eu estava na caverna Vos disse, meu Senhor, que os animais do campo se levantariam e me devorariam e eliminariam minha vida na terra”

19.3. Então Adão, por causa do que lhe havia acontecido, golpeou seu peito e prostrou-se em terra como um cadáver; então sobreveio a Palavra de Deus que o ergueu e disse-lhe:

19.4. “Ó Adão, nenhum desses animais poderá ferir-te porque quando Eu fiz estes animais e outras coisas moventes virem até ti na caverna, não permiti à serpente vir com eles, para que não se levantasse contra vós e vos fizeste tremer; e o medo que sentiríeis penetrasse em vossos corações.

19.5. “Pois Eu sabia que esta amaldiçoada é maldosa; por isso Eu não lhe permiti chegar perto de
vós com os outros animais.

19.6. “Mas agora fortalece teu coração e não tenhas medo. Eu estou contigo até o fim dos dias que
determinei para ti”.

20.1. Então Adão chorou e disse : “Ó Deus, levai-nos para algum outro lugar, onde a serpente não possa novamente aproximar-se e levantar-se contra nós. Para que não encontre Vossa criada Eva sozinha e a mate, pois seus olhos são medonhos e maus”

20.2. Mas Deus disse a Adão e Eva : “Daqui por diante não tenhais medo, não permitirei que ela se aproxime de vós; Eu a afastei de vós, dessa montanha; nem permitirei que ela de modo algum vos machuque”

20.3. Então Adão e Eva adoraram a Deus e deram-lhe graças, e louvaram-no por livrá-los da morte.

21.1 Então Adão e Eva foram procurar o jardim.

21.2 E o calor bateu como uma chama em seus rostos; e suaram com o calor e clamaram perante o Senhor.

21.3 Mas o lugar onde eles choraram foi perto de uma alta montanha, de frente para o portão oeste do jardim.

21.4 Então Adão se atirou do topo daquela montanha; seu rosto estava rasgado e sua carne estava rasgada; ele perdeu muito sangue e estava perto da morte.

21.5 Enquanto isso Eva permaneceu em pé na montanha chorando por ele, assim mentindo.

21.6 E ela disse: “Não desejo viver depois dele; porque tudo o que ele fez a si mesmo foi por meu intermédio.”

21.7 Então ela se lançou atrás dele; e foi rasgado e rasgado por pedras; e permaneceu deitado como morto.

21.8 Mas o Deus misericordioso, que olha para Suas criaturas, olhou para Adão e Eva enquanto eles jaziam mortos, e Ele enviou Sua Palavra a eles, e os ressuscitou.

21.9 E disse a Adão: “Ó Adão, toda esta miséria que trouxeste a ti mesmo não afetará o Meu governo, nem alterará o pacto dos 5.500 anos”.

22.1 Então Adão disse a Deus: “Eu me seco com o calor, estou fraco de andar e não quero estar neste mundo. E não sei quando Você vai me tirar dele para descansar.”

22.2 Então o Senhor Deus lhe disse: “Ó Adão, não pode ser agora, não até que você tenha terminado seus dias. Então, eu o tirarei desta terra miserável.”

22.3 E Adão disse a Deus: “Enquanto eu estava no jardim, não conhecia o calor, nem a langor, nem me movia, nem tremia, nem medo; mas agora, desde que vim para esta terra, toda esta aflição veio sobre mim.

22.4 Então Deus disse a Adão: “Enquanto você guardou Meu mandamento, Minha luz e Minha graça repousaram sobre você. Mas quando você transgrediu Meu mandamento, tristeza e miséria vieram a você nesta terra”.

22.5 E Adão clamou e disse: “Ó Senhor, não me cortes por isso, nem me pune com pragas pesadas, nem ainda me retribui de acordo com o meu pecado; pois nós, de nossa própria vontade, transgredimos o Teu mandamento e ignoramos o Teu lei, e tentou se tornar deuses como você, quando Satanás, o inimigo nos enganou. ”

22.6 Então Deus disse novamente a Adão: “Porque você suportou medo e tremor nesta terra, langor e sofrimento, pisando e caminhando, subindo nesta montanha e morrendo dela, eu tomarei tudo isso sobre mim para salvar tu.”

VII – Primeiro Altar

23.1 Então Adão clamou mais e disse: “Ó Deus, tem misericórdia de mim, quanto a assumir para ti mesmo o que eu farei.

23.2 Mas Deus retirou Sua Palavra de Adão e Eva.

23.3 Então Adão e Eva se puseram de pé; e Adão disse a Eva: “Fortalece-te, e eu também me fortalecerei.” E ela se fortaleceu, como Adam disse a ela.

23.4 Então Adão e Eva pegaram pedras e as colocaram em forma de altar; e tiraram folhas das árvores fora do jardim, com as quais limparam, da face da rocha, o sangue que haviam derramado.

23.5 Mas o que tinha caído na areia, eles tomaram juntamente com o pó com o qual estava amassado e o ofereceram sobre o altar em oferta a Deus.

23.6 Então Adão e Eva se puseram sob o altar e clamaram, orando assim a Deus: “Perdoa-nos a nossa transgressão * e o nosso pecado, e olha para nós com o teu olho de misericórdia. Pois quando estávamos no jardim nossos louvores e nossos hinos foram antes de você sem cessar.

23.7 Mas quando viemos para esta terra estranha, o louvor puro não era mais nosso, nem a oração justa, nem os corações compreensivos, nem os pensamentos doces, nem apenas os conselhos, nem o longo discernimento, nem os sentimentos retos, nem nossa natureza brilhante nos deixou. Mas nosso corpo mudou da semelhança em que era no início, quando fomos criados.

23.8 Mas olhe agora para o nosso sangue que é oferecido nestas pedras, e aceite-o em nossas mãos, como o louvor que costumávamos cantar a você no início, quando no jardim. ”

23.9 E Adão começou a fazer mais pedidos a Deus.

24.1 Então o misericordioso Deus, bom e amante dos homens, olhou para Adão e Eva, e para o sangue deles, que eles levantaram como oferta a Ele; sem uma ordem Dele para fazê-lo. Mas Ele se maravilhou com eles; e aceitou suas ofertas.

24.2 E Deus enviou da Sua presença um fogo brilhante, que consumiu a sua oferta.

24.3 Ele cheirou o aroma suave de sua oferta e mostrou-lhes misericórdia.

24.4 Veio então a Palavra de Deus a Adão, e disse-lhe: “Ó Adão, como tu derramaste o teu sangue, eu derramarei o meu próprio sangue quando me tornar carne dos teus descendentes; e como tu morreste, ó Adão, assim e eu também morrerei. E como você construiu um altar, também eu farei para você um altar da terra, e como você ofereceu o seu sangue sobre ele, assim também eu oferecerei o meu sangue sobre um altar na terra.

24.5 E assim como pediste por perdão por meio desse sangue, também farei com que Meu sangue perdoe os pecados e apagarei as transgressões nele.

24.6 E agora, eis que aceitei a tua oferta, ó Adão, mas os dias do pacto em que te coloquei não se cumpriram. Quando eles forem cumpridos, então eu o trarei de volta para o jardim.

24.7 Agora, portanto, fortaleça o seu coração; e quando a tristeza vier sobre você, faça-me uma oferta, e eu serei favorável a você. “

25.1 Mas Deus sabia que Adão acreditava que ele deveria freqüentemente se matar e fazer uma oferta a Ele de seu sangue.

25.2 Portanto, Ele lhe disse: “Ó Adão, nunca mais se mate assim, atirando-se daquela montanha”.

25.3 Mas Adão disse a Deus: “Eu estava pensando em acabar com a minha vida imediatamente, por ter transgredido os teus mandamentos e por ter saído do belo jardim; e pela luz brilhante da qual me privaste; e pelos louvores que derramavam da minha boca sem cessar e pela luz que me cobria.

25.4 No entanto, da tua bondade, ó Deus, não te livras totalmente de mim; mas seja favorável a mim cada vez que eu morrer, e me dê vida.

25.5 E assim será dado a conhecer que Tu és um Deus misericordioso, que não quer que ninguém pereça; quem não ama que alguém caia; e que não condena ninguém cruelmente, mal e com total destruição. “

25.6 Então Adão permaneceu em silêncio.

25.7 E a Palavra de Deus veio a ele, e o abençoou, e o consolou, e fez convênio com ele, que o salvaria no fim dos dias determinados para ele.

25.8 Esta, então, foi a primeira oferta que Adão fez a Deus; e assim se tornou seu costume.

VIII – Primeiro Altar

26.1 Então Adão levou Eva, e eles começaram a voltar para a Caverna dos Tesouros onde moravam. Mas quando eles se aproximaram dele e o viram de longe, uma grande tristeza caiu sobre Adão e Eva quando eles olharam para ele.

26.2 Então Adão disse a Eva: “Quando estávamos no monte, fomos consolados pela Palavra de Deus, que conversou conosco, e a luz que vinha do Oriente se refletiu sobre nós.

26.3 Mas agora a Palavra de Deus está oculta de nós; e a luz que apareceu sobre nós mudou a ponto de desaparecer, e permitir que as trevas e a tristeza caíssem sobre nós.

26.4 E somos forçados a entrar nesta caverna que é como uma prisão, na qual a escuridão nos cobre, de modo que estamos separados uns dos outros; e você não pode me ver, nem eu posso ver você. “

26.5 Quando Adão disse essas palavras, eles clamaram e estenderam as mãos diante de Deus; pois eles estavam cheios de tristeza.

26.6 E eles oraram a Deus para trazer o sol até eles, para brilhar sobre eles, para que as trevas não voltassem para eles, e para que eles não tivessem que ir debaixo desta cobertura de rocha. E eles preferiram morrer a ver a escuridão.

26.7 Então Deus olhou para Adão e Eva e para sua grande tristeza, e tudo o que eles haviam feito com um coração fervoroso, por causa de todos os problemas em que estavam, em vez de seu antigo bem-estar e por causa de toda a miséria que veio sobre eles em uma terra estranha.

26.8 Portanto, Deus não estava zangado com eles; nem impaciente com eles; mas ele foi paciente e tolerante com eles, como com os filhos que havia criado.

26.9 Então veio a Palavra de Deus a Adão, e disse-lhe: “Adão, quanto ao sol, se eu o tomasse e o trouxesse, dias, horas, anos e meses cessariam, e a aliança eu fiz com você, nunca seria cumprido.

26.10 Mas então você estaria abandonado e preso em uma praga perpétua, e você nunca seria salvo.

26.11 Sim, ao contrário, aguente muito e acalme a sua alma enquanto você vive noite e dia; até que chegue o cumprimento dos dias e chegue o tempo da Minha aliança.

26.12 Então irei salvá-lo, ó Adão, pois não desejo que você seja afligido.

26.13 E quando eu vejo todas as coisas boas em que você viveu, e por que você saiu delas, então eu voluntariamente mostraria misericórdia de você.

26.14 Mas não posso alterar o pacto que saiu da minha boca; caso contrário, eu o teria trazido de volta ao jardim.

26.15 Quando, porém, o convênio for cumprido, então mostrarei misericórdia a vocês e a seus descendentes, e os levarei a uma terra de alegria, onde não haverá tristeza nem sofrimento; mas alegria permanente e alegria, e luz que nunca falha, e louvores que nunca cessam; e um lindo jardim que nunca passará.

26.16 E Deus disse novamente a Adão: “Tenha paciência e entre na caverna, porque as trevas de que você temia durarão apenas doze horas; e quando acabar, a luz surgirá.”

26.17 Então, quando Adão ouviu essas palavras de Deus, ele e Eva adoraram diante dele e seus corações foram consolados. Eles voltaram para a caverna após seu costume, enquanto as lágrimas escorriam de seus olhos, tristeza e lamento vinham de seus corações, e eles desejavam que sua alma deixasse seu corpo.

26.18 E Adão e Eva ficaram orando até que a escuridão da noite caiu sobre eles, e Adão foi escondido de Eva, e ela dele.

26.19 E eles ficaram em pé em oração.

27.1 Quando Satanás, o odiador de todo o bem, viu como eles continuavam em oração e como Deus se comunicava com eles e os confortava, e como Ele havia aceitado sua oferta – Satanás fez uma aparição.

27.2 Ele começou transformando seus anfitriões; em suas mãos havia um fogo flamejante e eles estavam sob uma grande luz.

27.3 Ele então colocou seu trono perto da entrada da caverna porque ele não podia entrar por causa de suas orações. E ele iluminou a caverna, até que a caverna brilhou sobre Adão e Eva; enquanto seus anfitriões começaram a entoar louvores.

27.4 E Satanás fez isso para que, quando Adão visse a luz, pensasse consigo mesmo que era uma luz celestial e que as hostes de Satanás eram anjos; e que Deus os havia enviado para vigiar a caverna e dar-lhe luz na escuridão.

27.5 De modo que, quando Adão saiu da caverna e os viu, e Adão e Eva se curvaram a Satanás, ele venceria Adão e, pela segunda vez, o humilharia diante de Deus.

27.6 Quando, portanto, Adão e Eva viram a luz, imaginando que era real, fortaleceram o coração; ainda assim, como eles estavam tremendo, Adão disse a Eva: –

27.7 “Olhe para aquela grande luz, e para aquelas muitas canções de louvor, e para aquele anfitrião do lado de fora que não entrará em nossa caverna. Por que eles não nos dizem o que querem, de onde são, qual o significado desta luz é, quais são esses elogios, por que eles foram enviados a este lugar, e por que eles não virão?

27.8 Se fossem de Deus, entrariam na caverna conosco e nos diriam por que foram enviados. “

27.9 Então Adão se levantou e orou a Deus com um coração ardente, e disse: –

27.10 “Ó Senhor, há no mundo outro deus além de Ti, que criou os anjos e os encheu de luz, e os enviou para nos guardar, quem viria com eles?

27.11 Mas, eis que vemos essas hostes que estão na entrada da caverna; eles estão em uma grande luz; eles cantam louvores em voz alta. Se eles são de algum outro deus além de você, diga-me; e se eles forem enviados por você, informe-me do motivo pelo qual Você os enviou. “

27.12 Assim que Adão disse isso, um anjo de Deus apareceu a ele na caverna, que lhe disse: “Ó Adão, não temas. Este é Satanás e suas hostes; ele deseja enganar-te como te enganou a princípio . Pela primeira vez, ele estava escondido na serpente, mas desta vez ele veio a vocês na forma de um anjo de luz; para que, quando vocês o adorassem, ele pudesse escravizá-los, na própria presença de Deus . “

27.13 Então o anjo saiu de Adão e agarrou Satanás na abertura da caverna, e despojou-o do fingimento que havia assumido, e o trouxe em sua própria forma hedionda para Adão e Eva; que ficaram com medo dele quando o viram.

27.14 E o anjo disse a Adão: “Esta forma hedionda tem sido dele desde que Deus o fez cair do céu. Ele não poderia ter se aproximado de você com ela; portanto, ele se transformou em um anjo de luz.”

27.15 Então o anjo expulsou Satanás e suas hostes de Adão e Eva, e disse-lhes: “Não temais; Deus que vos criou, vos fortalecerá”.

27.16 E o anjo os deixou.

27.17 Mas Adão e Eva permaneceram na caverna; nenhum consolo veio a eles; eles se dividiram em seus pensamentos.

27.18 E ao amanhecer eles oravam; e então saiu em busca do jardim. Pois seus corações estavam voltados para ele, e eles não puderam obter consolo por tê-lo deixado.