Épico de Gilgamesh

Esta versão em português foi traduzida por Pedro Cavalcanti*

I – Introdução

Aquele que tudo viu, eu o farei conhecido nas terras.
Vou ensinar Sobre aquele que experimentou todas as coisas,
[…]  igualmente,
Anu concedeu-lhe a totalidade do conhecimento de todos.
Ele viu o Segredo, descobriu o Oculto.
Ele trouxe informações [do tempo] antes do Dilúvio.
Ele fez uma viagem distante, levando-se à exaustão.
Mas então foi trazido à paz.
Ele esculpiu em uma estela de pedra todas as suas labutas.
E construiu o muro de Uruk-Haven,
O muro do sagrado Templo Eanna, o santuário sagrado.
Olhe para sua parede que brilha como cobre.
Inspecione sua parede interna, do tipo que ninguém pode igualar!
Agarre-se à pedra do limiar – ela data dos tempos antigos!
Vá perto do Templo Eanna, a residência de Ishtar,
Como nenhum rei ou homem posterior jamais igualou!
Suba na parede de Uruk e caminhe,
Examine sua fundação, inspecione sua alvenaria cuidadosamente.
Não é a estrutura de tijolo feita de tijolo queimado em forno.
E os próprios Sete Sábios não traçaram seus planos?
Uma légua de cidade, uma légua de de palmeirais, uma légua de planícies, o terraço do Templo de Ishtar,
Três léguas e o terraço de Uruk que [a parede] envolve.
Encontre a urna de cobre das tábuas,
Abra o [lacre]… de sua fechadura de bronze,
Desfaça a fixação de sua abertura secreta.
Pegue e leia as tábuas de lápis-lazúli.
Como Gilgamesh passou por todas as dificuldades.

Supremo sobre outros reis, nobre na aparência.
Ele é o herói, nascido de Uruk, o touro selvagem feroz.
Ele sai na frente, [como] o líder.
E anda na retaguarda, com a confiança de seus companheiros.
Rede poderosa, protetora de seu povo.
Onda de inundação violenta que destrói até mesmo paredes de pedra!
Descendente de Lugalbanda, Gilgamesh é forte à perfeição,
Filho da vaca augusta, Rimat-Ninsun; … Gilgamesh é incrível à perfeição.
Foi ele quem abriu as passagens nas montanhas,
Quem cavou poços no flanco da montanha.
Foi ele quem cruzou o oceano, os vastos mares, até o sol nascente.
Quem explorou as regiões do mundo, em busca de vida.
Foi ele quem alcançou com sua própria força Utanapishtim, o Distante,
Aquele quem restaurou as cidades que o Dilúvio destruiu!
[…] para a humanidade abundante.
Quem pode se comparar a ele em realeza?
Quem pode dizer como Gilgamesh: “Eu sou o rei!”?
Cujo nome, desde o dia de seu nascimento, se chamava “Gilgamesh”?
Dois terços dele são deus, um terço dele é humano.
A Grande Deusa [Aruru] projetou a forma para seu corpo,
Ela preparou sua forma […]
[…] Bonito, o mais bonito dos homens.
[…] Perfeito.
[…]
Ele anda pelo recinto de Uruk.
Como um touro selvagem, ele se torna poderoso, cabeça erguida.
Não há rival que possa levantar sua arma contra ele.
Seus companheiros ficam [de prontidão], atentos às suas [ordens].
E os homens de Uruk ficam ansiosos em […].
Gilgamesh não deixa um filho para seu pai,
Dia e noite, ele orgulhosamente […]

[As linhas a seguir são interpretadas como retóricas, talvez faladas pelos cidadãos oprimidos de Uruk.]

Gilgamesh é o pastor de Uruk-Haven,
Ele é o pastor. […]
Ousado, eminente, conhecedor e sábio!
Gilgamesh não deixa uma menina para sua mãe.
A filha do guerreiro, a noiva do jovem,
Os deuses continuaram ouvindo suas queixas, então
Os deuses dos céus imploraram ao senhor de Uruk [Anu]

“Você realmente trouxe à existência um poderoso touro selvagem, cabeça erguida!
Não há rival que possa levantar uma arma contra ele.
Seus companheiros ficam [de prontidão], atentos às suas [ordens!],
Gilgamesh não deixa um filho para seu pai,
Dia e noite, ele arrogantemente …
Ele é o pastor de Uruk-Haven,
Ele é o pastor deles […]
Ousado, eminente, conhecedor e sábio,
Gilgamesh não deixa uma menina para a mãe!
A filha do guerreiro, a noiva do jovem.”
Anu ouviu suas reclamações,
E (os deuses) clamaram a Aruru:
“Foi você, Aruru, quem criou a humanidade.
Agora crie um zikru para ela.
Que ele seja igual ao seu [Gilgamesh] coração tempestuoso,
Que eles sejam um par para que Uruk possa encontrar a paz! “
Quando Aruru ouviu isso, ela criou dentro de si o zikrtt de Anu.
Aruru lavou as mãos, tirou um pouco de argila e jogou no deserto.
Na selva, ela criou o valente Enkidu,
Nascido do Silêncio, dotado de força por Ninurta.
Todo o seu corpo estava desgrenhado de cabelo,
Ele tinha uma cabeleira cheia como uma mulher,
Seus cachos ondulavam em profusão como Ashnan.
Ele não conhecia pessoas nem uma vida estável,
Mas usava uma vestimenta como Sumukan. “
Ele comeu grama com as gazelas,
E se acotovela no manancial entre os animais;
Como com os animais, sua sede foi saciada com água.
Um notório caçador ficou cara a cara com ele em frente ao manancial.

Um primeiro, um segundo e um terceiro dia
Ele ficou cara a cara com ele em frente ao manancial.
Ao vê-lo, o rosto do caçador ficou rígido de medo.
E ele, com seus animais, voltaram para casa.
Ele estava rígido de medo; embora totalmente imóvel
Seu coração batia forte e seu rosto perdeu a cor.
Ele estava miserável até o âmago,
E seu rosto parecia o de quem fizera uma longa viagem.
O caçador se dirigiu ao pai dizendo:

“Pai, um certo sujeito veio das montanhas.
Ele é o mais poderoso da terra,
Sua força é tão poderosa quanto o meteoro de Anu!
Ele continuamente sobe as montanhas,
Ele continuamente se acotovela no manancial com os animais,
Ele planta continuamente os pés em frente ao manancial.
Eu estava com medo, então não fui até ele.
Ele preencheu os poços que eu tinha cavado.
Arrancou as armadilhas que eu espalhei.
Libertou do meu alcance os animais selvagens.
Ele não me deixa fazer minhas rondas no deserto!”
O pai do caçador falou com ele dizendo:
“Meu filho, mora em Uruk um certo Gilgamesh.
Não há ninguém mais forte do que ele.
Ele é tão forte quanto o meteoro de Anu.
Vá, vá para Uruk.
Conte a Gilgamesh sobre esse Homem de Poder.
Ele lhe dará a prostituta Shamhat, leve-a com você.
A mulher vai vencer o homem como se ela fosse forte.
Quando os animais estiverem bebendo no manancial,
Faça-a tirar o manto e expor sua nudez.
Quando ele a vir, ele se aproximará dela.
E seus animais, que cresceram em seu deserto, serão estranhos para ele. “

Ele acatou o conselho de seu pai.
O caçador foi para Uruk,
Ele fez a viagem, ficou dentro de Uruk,
E declarou a […] Gilgamesh:
“Há um certo sujeito que veio das montanhas.
Ele é o mais poderoso da terra.
Sua força é tão poderosa quanto o meteoro de Anu!
Ele continuamente sobe as montanhas.
Ele continuamente se acotovela no manancial com os animais.
Ele planta continuamente os pés em frente ao manancial.
Eu estava com medo, então não fui até ele.
Ele preencheu os poços que eu tinha cavado.
Arrancou as armadilhas que eu espalhei,
Liberou do meu alcance os animais selvagens.
Ele não me deixa fazer minhas rondas no deserto! “
Gilgamesh disse ao caçador:
“Vá, caçador, traga a prostituta, Shamhat, com você.
Quando os animais estiverem bebendo no manancial,
Faça-a tirar o manto e expor sua nudez.
Quando ele a vir, ele se aproximará dela,
E seus animais, que cresceram em seu deserto, serão estranhos para ele. “

O caçador foi, trazendo a meretriz, Shamhat, com ele.
Eles partiram na jornada, seguindo caminho direto.
No terceiro dia eles chegaram ao local designado.
O caçador e a prostituta sentaram-se em seus postos.
No primeiro dia e no segundo, eles se sentaram em frente ao manancial.
Os animais chegaram e beberam no manancial,
As feras chegaram e mataram sua sede com água.
Então ele, Enkidu, filho das montanhas,
Que come grama com as gazelas,
Veio beber no manancial com os animais,
Com as feras, ele matava sua sede com água.
Então Shamhat o viu – um primitivo.
Um sujeito selvagem das profundezas do deserto!
“É ele, Shamhat! Solte seus braços cerrados.
Exponha seu sexo para que ele possa absorver sua volúpia.
Não se restrinja – tome sua energia!
Quando ele te vir, ele se aproximará de você.
Abra o seu manto para que ele possa se deitar sobre você.
E realizar para este primitivo a tarefa da humanidade!
Seus animais, que cresceram em seu deserto, se tornarão estranhos para ele.
E sua luxúria gemerá sobre você. “
Shamhat abriu seu seio, expôs seu sexo e percebeu sua volúpia.
Ela não foi contida, e tomou sua energia.
Ela abriu seu manto e ele se deitou sobre ela,
Ela executou para o primitivo a tarefa da humanidade.
Sua luxúria gemeu sobre ela.
Por seis dias e sete noites Enkidu ficou acordado.
E teve relações sexuais com a prostituta
Até que ele foi saciado com seus encantos.
Mas quando ele voltou sua atenção para seus animais.
As gazelas viram Enkidu e dispararam.
Os animais selvagens se distanciaram de seu corpo.
Enkidu [teve] seu corpo totalmente esgotado.
Seus joelhos que queriam sair com seus animais ficaram rígidos.
Enkidu foi diminuído, sua corrida não era como antes.
Mas então ele se recompôs, pois seu entendimento havia se ampliado.
Virando-se, ele se sentou aos pés da prostituta.
Olhando para o rosto dela, seus ouvidos estavam atentos enquanto a prostituta falava.
A prostituta disse a Enkidu:
“Você é lindo”, Enkidu, você se tornou como um deus.
Por que você galopa pelo deserto com as feras?
Venha, deixe-me levá-lo para Uruk-Haven.
Para o Templo Sagrado, a residência de Anu e Ishtar.
O lugar de Gilgamesh, que é sábio à perfeição.
Mas que ostenta seu poder sobre o povo como um touro selvagem.”
O que ela dizia sempre agradou a ele.
Tomando consciência de si mesmo, ele procurou um amigo.
Enkidu falou com a prostituta:

“Venha, Shamhat, leve-me embora com você,
Para o sagrado Templo Sagrado, a residência de Anu e Ishtar.
O lugar de Gilgamesh, que é sábio à perfeição.
Mas que ostenta seu poder sobre o povo como um touro selvagem.
Eu vou desafiá-lo […]
Deixe-me gritar em Uruk: Eu sou o poderoso!
Conduza-me e mudarei a ordem das coisas;
Aquele cuja força é mais poderosa é aquele que nasceu no deserto!”
[Shamhat para Enkidu:]
“Venha, deixe-nos ir, para que ele veja o seu rosto.
Vou levá-lo a Gilgamesh – sei onde ele estará.
Olhe ao redor, Enkidu, dentro de Uruk-Haven.
Onde as pessoas se exibem em trajes elegantes.
Onde todo dia é dia de algum festival.
Onde a lira e o tambor tocam continuamente.
Onde as meretrizes mantém-se belas.
Exalando volúpia, cheia de risos.
E nos leitos os lençóis são estendidos.”
Enkidu, você que não sabe como viver.
Vou te mostrar Gilgamesh, um homem de sentimentos extremos.
Olhe para ele, olhe para seu rosto.
Ele é um jovem bonito, com frescor.
Todo o seu corpo exala volúpia
Ele tem uma força maior do que você,
Nem dormir de dia ou de noite!
Enkidu, são os seus pensamentos errados que você deve mudar!
É Gilgamesh quem Shamhat ama,
E Anu, Enlil e La expandiram sua mente.
Mesmo antes de você vir da montanha,
Gilgamesh em Uruk tinha sonhos com você.”

Gilgamesh se levantou e revelou o sonho, dizendo a sua mãe:
“Mãe, tive um sonho ontem à noite.
Estrelas do céu apareceram.
E algum tipo de meteoro de Anu caiu perto de mim.
Eu tentei levantá-lo, mas era muito poderoso para mim,
Tentei virar, mas não consegui mexer.
A Terra de Uruk estava ao seu redor.
Toda a terra se reuniu sobre isso.
A população se aglomerava em torno dele.
Os homens se aglomeraram sobre isso.
E beijou seus pés como se fosse um bebezinho.
Eu adorei e abracei-o como uma esposa.
Eu me coloquei aos seus pés.
E você o fez competir comigo. “
A mãe de Gilgamesh, a sábia, onisciente, disse ao seu Senhor.
Rimat-Ninsun, o sábio, onisciente, disse a Gilgamesh:
“Quando às estrelas do céu que apareceram
E o meteoro de Anu que caiu próximo a você,
Você tentou levantar, mas era muito poderoso para você.
Você tentou virar, mas não conseguiu movê-lo,
Você se colocou aos seus pés,
E eu o fiz competir com você.
E você o amou e abraçou como uma esposa. “
“Virá até você um homem poderoso, um companheiro que salva seu amigo –
Ele é o mais poderoso da terra, ele é o mais forte.
Sua força é poderosa como o meteoro de Anu!
Você o amava e o abraçou como esposa.
É ele quem irá salvá-lo repetidamente.
Seu sonho é bom e propício!”

Uma segunda vez Gilgamesh disse a sua mãe: “Mãe, eu tive outro sonho:
“No portão de minha câmara conjugal havia um machado.
E as pessoas se aglomerou sobre isso.
A Terra de Uruk estava ao seu redor,
Toda a terra se reuniu sobre isso,
A população se aglomerava em torno dele.
Eu me coloquei aos seus pés.
Eu o adorei e o abracei como uma esposa.
E você o fez competir comigo.”
A mãe de Gilgamesh, a sábia e onisciente, disse ao filho;
Rimat-Ninsun, o sábio, onisciente, disse a Gilgamesh:
“O machado que você viu [é] um homem.
[Quem) você ama e abraça como uma esposa.
Mas [isso] eu tenho competir com você.”
Virá a você um homem poderoso.
Um companheiro que salva seu amigo.
Ele é o mais poderoso da terra, ele é o mais forte,
Ele é tão poderoso quanto o meteoro de Anu!”
Gilgamesh falou com sua mãe dizendo:
“Por ordem de Enlil, o Grande Conselheiro, que assim passe!
Posso ter um amigo e conselheiro, um amigo e conselheiro posso ter!
Você interpretou para mim os sonhos com ele!”
Depois que a prostituta contou os sonhos de Gilgamesh a Enkidu
Os dois fizeram amor.

II

Em construção

*Traduzido da versão inglesa de Maureen Gallery Kovacs.