Kur

O Mundo dos Mortos

al_abismo_de_fernando_cabrera_cantc3b3_museo_del_prado.jpg

Ferran Cabrera i Cantó (1866–1937)

Rei: Ereshkigal
Cidades: Palácio Ganzir, Hubur

O mundo espiritual de Kur é uma caverna escura e triste localizada nas profundezas da Terra, onde os mortos subsistem numa versão sombria da superfície. A sua entrada está localizada nas montanhas de Zagros, no Extremo Oriente, onde uma interminável escada leva aos seus portões. Essas escadas atingem profundidades tão imensas que elas atravessam muito além das águas primevas do caos primordial, chamado de Abzu, até chegar nos Sete Portões, que são guardados pelo porteiro Neti. Só ao fim de todo esse percurso, o espírito consegue chegar no Palácio de Ganzir.

A deusa Ereshkigal foi colocada como a rainha do mundo e a senhora das almas pelo deus ancestral Enlil. Ela governou por milênios ao lado do seu esposo Gugalanna, o Touro do Céu, até este ser morto pelo reis-guerreiros Gilgamesh e Enkidu. O funeral foi realizado com grande pesar pelo panteão, mas a deusa continuou a governar o mundo espiritual sozinha. Assim, o fez por outros tantos milênios até recentemente tomar para si um novo esposo. O escolhido foi o deus Nergal, senhor da guerra e da brutalidade. Hoje todos os mortos são levados ao casal sombrio para lhes jurar lealdade no Kur.

A porteiro Neti grava o nome de todo o espírito recém-chegado nos arquivos para que sejam enviados para o palácio, onde a poderosa deusa Ereshkigal, a senhora dos mortos, governa sobre todos. Os mortos então prestam reverencia à sua nova senhora e são liberados para viver livremente nas terras do submundo. Não há julgamentos para os mortos. Não há um paraíso ou um inferno onde eles são julgados pelo que fizeram durante sua vida. Eles simplesmente existem nesse mundo estranho e sombrio, sem direito a punição ou recompensa.

A vida em Kur é dura e sofrida, mas pode ser aplacada pelas homenagens que os vidas prestam aos mortos. A morada em Kur é mesma da tumba do falecido, assim enterros pomposos e grandiosos garantem um bom lugar para viver no pós morte. As libações que os familiares, amigos e admiradores derramam regularmente em sua homenagem encerra a fome e sede, os fazendo se sentir renovados. Desta forma, são os vivos que julgam os privilégios que os mortos recebem no mundo espiritual, por isso, a importância de ter uma grande família e de realizar grandes feitos ao bem comum.

 

Otto_Greiner_-_Dante_und_Virgil_in_der_Hölle

Otto Greiner (1869–1916)

Ninazu

O deus guerreiro Ninazu é filho da rainha Ereshkigal, senhora das almas, com seu primeiro esposo Gugalanna. Ambos os seus pais governaram o mundo espiritual por milênios no palácio de Ganzir. Nesse período, Ninazu era um guerreiro extremamente violento e raivoso. Ele sempre foi um adversário formidável no combate por causa da suas habilidades de combate e por ter o dragão Mushussu ao seu lado.

Infelizmente, os últimos milênios se tornaram um inferno para Ninazu desde que sua mãe Ereshkigal tomou para si o novo esposo Nergal. Ele assim abandonou o mundo dos espíritos para viver entre os vivos. Ele continua a vagar o mundo dos vivos, onde se tornou famoso por suas habilidades curativas e por ser o Rei das Serpentes. Todos os seus atos heroicos e curas tem o único objetivo de irritar a sua mãe, que sempre deseja mais mortos para a venerar. No entanto, Ninazu não descansará enquanto não derrotar seu padrasto Nergal e o expulsar do mundo dos mortos.

 

Neti

O demônio Neti é o guardião do mundo espiritual, sendo um dos mais poderosos deuses existentes, mas a rainha Ereshkigal, senhor das almas, possui a sua mais completa lealdade. É seu dever receber os espíritos na entrada do submundo e garantir que eles não tragam nenhum dos pertences que tinham em vida.  Eles são assim despidos de seus adornos de cabeça no primeiro portão; são despidos no pescoço no segundo; das vestimentas de seu corpo no terceiro e quatro; dos objetos em suas mãos no quinto e sexto; e de todo o resto no sétimo portão.

O morto entra assim totalmente nu no mundo espiritual. É nesse momento que o guardião Neti revela que eles entraram na “Terra do Não-Retorno”. Ele anuncia que todos deverão residir agora para sempre sob o governo da rainha Ereshkigal, a senhor dos mortos. Ele ameaça os recém-chegados a nunca mais se aproximar dos Sete Portões, pois o próprio Neti os destruirá caso isso ocorra. Felizmente, o guardião dos sete portão não está sozinho nessa tarefa. Ele tem ao seu lado os gigantescos deuses gêmeos, que estão sempre usando um elmo de chifres. Eles são chamados Lugal-Irra, que sempre está à sua esquerda com um machado, e Meslanta-Ea, que sempre está à sua direita com o maça, com ambos usando elmos com chifres. .

Gluck_-_Orfeo_ed_Euridice,_act_IV_-_The_gates_of_hell_-_Lande_-_The_Victrola_book_of_the_opera

Namtar

Muito tempo atrás, o cargo de Namtar era exercido pelo demônio Enmesarra. Ele era o ministro e mensageiro do líder divino Enlil, mas não aceitou quando esse deus colocou a rainha Ereshkigal como governante do mundo espiritual e senhora dos mortos, por isso, foi castigado. Hoje, seu corpo está empalado e exposto em frente ao palácio de Ganzir. A queda de Enmesarra, abriu caminho para a ascensão de Namtar, que era filho de Enlil e Ereshkigal.

O demônio Namtar hoje é o ministro e mensageiro da rainha Ereshkigal. Ele é considerado o deus da morte e comandante das sessenta doenças que podem penetrar o corpo humano de diferente formas. Ele possui o poder sobre todas as almas. É considerado o espírito do destino e, portanto, de grande importância. Muitos o consideram o verdadeiro Ceifador de Almas, por isso, oram por seu nome quando desejam escapar da morte.

 

Tamuz e Gestinana

O pastor de ovelhas Tamuz era casado com a deusa do sexo e da beleza Inana-Ishtar quando esta desceu ao palácio de Ganzir para o enterro do antigo senhor dos mortos Gulalanna. No entanto, sua irmã Ereshkigal aproveitou o momento para aprisionar Inana-Ishtar numa demonstração de humilhação. A rainha dos mortos Ereshkigal só aceitou libertar a irmã caso esta lhe entregasse o esposo Tamuz. A paz entre as irmãs divinas só se restabeleceu quando se firmou o acordo de que Tamuz passase metade do ano nos céus ao lado de Inana-Ishtar e a outra metade nas profundezas com Ereshkigal.

A sábia Gestinana é a irmã de Tamuz. Ambos sempre foram bastante unidos desde o nascimento. Por isso, ela aceitou viver no mundo espiritual de forma permanente para cuidar dos assuntos do irmão, cujo ciclo de ressurreição e morte se repete há milênios. Gestinana tem assim ganhado grande importância na corte do palácio de Ganzir depois que aceitou o cargo de escriba da rainha dos mortos e por sua formidável habilidade de interpretar sonhos. No entanto, Gestinana está disposta a salvar o irmão do terrível ciclo e se vingar de ambas as deusas Ereshkigal e Inana-Ishtar que colocaram o irmão nessa situação contra a vontade dele. Recentemente, os irmãos formaram uma aliaça com o demônio Ninazu, que tem ódio do padrasto Nergal, para colocar esse plano em prática. 

Arolsen_Klebeband_15_113

Melchior e Matthäus Küssel