Cólquida

O Santuário do Deus-Sol

Rei: Eetes
Cidades: Ea, Macrone, Lazistão, Ciméria e Gelona
Idioma Local: Micênico

Salão do Palácio de Luxemburgo

O rei Eetes, filho do titã Hélio, o deus-sol, é um dos homens mais velhos de toda a Gaia. Com a ajuda de seu pai, ainda jovem, Eetes fundou a cidade de Corinto, uma das principais cidades da Attica. Anos depois, o seu divino pai solicitou que deixasse o Hélade para as terras distantes do Leste. Assim, o rei Eetes deixou para trás toda sua riqueza e próspera cidade rumo ao desconhecido.

Eetes ultrapassou Tróia e o lar das mulheres guerreiras assentando seus colonizadores do outro lado do mar Negro. Foi assim que nasceu a cidade de Ea, mas todos que chegam na cidade fundada por Eetes ficam impressionados. É impossível acreditar que a cidade possui algumas décadas de fundação, pois parece tão majestosa quanto as milenares cidades de Atenas e Mênfis. Enormes templos de ouro dedicados ao deus-sol permeiam a região de Cólquida. O próprio palácio de Eetes foi construído com o nobre material.

Sociedade

O rei Eetes trouxe seu povo até essa região em gigantescos navios. E a cidade foi construída às margens do rio Fásis. Isso torna o povo do deus-sol extremamente marítimo sobrevivendo principalmente da pesca. Além disso, a agricultura nas margens do rio também tenha grande importância. A maior força militar do rei Eetes certamente é a marinha. Os seus navios são conhecidos como os mais velozes e poderosos do mundo. Além disso, ele é conhecido como o guardião do sagrado Tosão de Ouro, a mais poderosa armadura do mundo.

O rei Eetes impõe o respeito através da força e do medo. Todos os seus desejos são uma ordem e aqueles que o desobedecem terminam mortos. Ele possui um política fechada para outros povos, principalmente, com os povos do Hélade. Ele tem feito todos os mercadores e embaixadores do seu antigo povo retornar mãos vazias. Mesmo aqueles vindos de Corinto, onde Eetes ainda é venerado como fundador, são ignorados. Com a terra de Perseu, o rei de Cólquida divide apenas o seu passado.

Jean François de Troy 1679 –1752

Jean François de Troy 1679 –1752

Absirto

O rei Eetes já era uma figura renomada em Micenas quando teve uma revelação do seu pai, o titã Hélio, o deus-sol. Ele deveria partir da Attica para as terras desconhecidas do Leste. E assim, alguns anos depois, estava fundado o Reino Cólquida. Lá, o rei teve três filhos Absirto, Chalciope e Medeia.

O príncipe Absirto é o sucessor do trono de seu velho pai e líder dos exércitos Cólquidas. No entanto, apesar de neto do titã Hélio, ele não possui poderes Arcanos. As suas armas são poderosas o bastante para deles não necessitar. Certamente, é o maior guerreiro do povo Cólquida.

 

Filhos de Frixo

Anos atrás, um forasteiro de Micenas conhecido como Frixo chegou em Cólquida. Ele trouxe uma armadura construída da lã dourada de uma ovelha mágica: o Tosão de Ouro. Nesse tempo, o forasteiro Frixo e a princesa Chalciope, filha do rei Eetes, se uniram em amor e geraram quatro filhos.

Frontis é o grande cavaleiro de Cólquida que montado em seu cavalo Tempestris torna-se imbatível. Ele é bastante jovem, mas já é o grande herói de Cólquida e, com sua beleza, o preferido dentre as mulheres. Recentemente, o seu irmão Argo tem planejado uma viagem para Micenas, terra natal de seu pai. O príncipe Frontis tem pensado bastante no assunto, mas não está certo de que seja uma boa idéia.

Argo é o mais importante diplomata de Cólquida, mas não entende por que o rei Eetes nega a aproximação com os reinos micênicos. Ele tem planejado junto aos seus irmãos abandonar Cólquida para reencontrar seu avô Atamas, pai de Frixo, na corte real de Tebas, e solicitar a herança paterna que por direito lhes pertence.

Citissoro possui ótimas habilidades de espionagem e furtividade. Ele tem sido enviado por Eetes em missões especiais conseguindo grandes sucessos, mas também acredita no plano de seu irmão Argo. Ele sonha em retornar à Micenas para herdar parte da riqueza de seu avô Atamas, pai de Frixo.

Melas é o líder dos arqueiros de Cólquida. Ele possui bastante prestígio na corte do rei Eetes. No entanto, as histórias contadas por seu pai o fascinam desde sua infância. Ele está disposto a deixar tudo para trás e viver novas aventuras em Micenas.

 

Anciente Rome Fresco-Pompéia, Sec I.

Carmentis

A antiga princesa Lâmia do Egito gerou uma filha chamada Sibila, que tomou para si a missão de propagar o culto de seu pai entre os povos do deserto. Ela se tornou assim a grande sacerdote do deus Amon-Zeus. Hoje, seu culto se difundiu rapidamente com dezenas de profetisas por toda a Gaia que recebem o título de “Sibilantes”.

A sibilante de Cólquida se chama Carmentis. Ela nasceu em Micenas, mas se converteu ao culto das sibilantes nas terras cimerianas de Cólquida. Recentemente, ela retornou à sua terra natal para encontrar seu filho Evandro, o homem mais sábio do mundo. Ela contou sobre a profecia do sobrevivente da maior das guerras. O próprio Evandro deveria o receber nas terras da Etruria. Lá, ele fundaria uma cidade que um dia dominará toda a Gaia. Desde então, Evandro e Carmentis deixaram suas terras em peregrinação até o destino de suas profecias.

 

Medeia

Medeia é uma poderosa feiticeira filha do rei Eetes de Cólquida. O seu poder não foi apenas herdado do seu avô Hélio, deus do sol, como também foi ensinado por sua tia Pasifae que vive no reino minoano. Esta poderosa feiticeira sabe que sua sobrinha tem potencial para se tornar a maior arcana do mundo. Por isso, tem se encontrado com ela através de portais dimensionais para ensinar todos os seus conhecimentos mágicos.

Medeia tenta aprender as artes arcanas com afinco, pois se sente presa na patriarcal cidade fundada por seu pai. Ela sonha em deixar Cólquida para conhecer Micenas como fez sua tia Pasifae. O pai vê nessas idéias apenas uma fase de sua juventude, mas sabe que ela está crescendo incrivelmente poderosa. Logo não será mais capaz de controlá-la.

 

Prometeu

Gioacchino Assereto 1600 – 1649

Há milhares de anos atrás, antes da criação dos seres humanos, uma grande batalha divina ocorreu. Os deuses Titãs liderados por Krono confrontaram os deuses olimpianos liderados por Zeus. Os cinco deuses titãs eram Iapeto, Hiperion, Krio, Céos e Krono. Esses titãs possuíam vasta prole, mas os filhos de Iapeto foram os únicos que tomaram parte no confronto.

O titã Prometeu tomou o lado dos deuses olimpianos. Juntos, eles derrotaram todos os deuses titãs prendendo-os no sombrio Tártaro, o poço profundo sob o chão. No entanto, séculos mais tarde, Prometeu provocou a ira do seu antigo aliado. Ele entregou, contra a vontade de Zeus, o fogo do conhecimento aos seres humanos.

Toda a humanidade foi castigada pelo seu ato, sendo obrigada a trabalhar para o sustento. Esse foi o fim da Era de Ouro. No entanto, os homens não foram os únicos castigados. Prometeu também sofreu uma punição exemplar. Ele teve o corpo atravessado por correntes no alto do monte Cáucaso. E todos os dias uma monstruosa águia devora o seu fígado.

Por ser um deus imortal, Prometeu é incapaz de morrer. Assim, durante a noite, seu fígado se regenera por completo apenas para a águia voltar e devorá-lo novamente no dia seguinte. Ele sofre tão terrível tortura a cada novo dia, já por centenas de anos. Toda manhã, os seus gritos de dor podem ser escutados por toda Cólquida enquanto implora por socorro.