Chipre

A Cidade da Forja

Rei: Cíniras
Cidades: Pafos, Lanarca, Salamis
Idioma: Fenício

Luca Giordano (1634–1705)

A ilha de Chipre hoje é a região mais estratégica do mundo em razão do bem mais precioso para a criação de armas e ferramentas atualmente. A razão disso são as inúmeras minas de cobre que existem em grande quantidade sob o seu solo. Esse metal é derretido junto com o estanho proveniente da Mesopotâmia na proporção de 10:1 e assim é forma o Bronze, o metal mais versátil do mundo. Essa descoberta fez todas as nações do mundo buscarem fundar colônias em sua costa marítima.

O principal destes colonizadores foram os filhos do herói Céfalo, proveniente das terras atenienses e fundador da cidade portuária da Ítaca. O seu filho Faeton, trazendo consigo uma esquadra financiada por Hirieus, o homem mais rico da Beócia, chegou à ilha de Chipre, descobriu o valioso metal na região e fundou um novo povoamento chamado de Pafos. Em pouco tempo, a porto de Pafos se tornou um dos maiores exportadores de Bronze para o mundo, levando o metal para a Fenícia, Danaã, Egito e muitos outros povos.

Sociedade

Hoje, o rei Cínira de Pafos é o descendente direto do lendário Céfalo. No entanto, o mundo já percebeu o valor do subsolo local e já enviam seus próprios colonizadores para região. A portuária cidade de Salamis na Attica enviou sua própria colônia e o rei da Fenícia já negociou o casamento de sua filha Metarme com o rei Cíniras. A própria ilha que antes se chamava Alásia hoje se chama “Chipre” por ser esta uma corruptela para a palavras “Cobre”.

Alguns décadas atrás, a ilha de Chipre era uma terra pouco habitada que vivia da agricultura de subsistência. A única razão para as pessoas viajarem para ilha era em peregrinação à deusa Afrodite visto que este é o local de nascimento da deusa. Por isso, é de surpreender que o local tenha se tornado hoje um complexo industrial para produção de bronze, com centenas de forjas e ferreiros.

 

Parmigianino der Jüngere (1671 – 1751)

Adônis

O nascimento de Adônis é uma história trágica fruto de crime contra a natureza de sua própria mãe: a princesa Mirra do Chipre. Ela era a filha do rei Cíniras, mas só uma terrível maldição pode explicar que ela cultivasse um desejo sexual incontrolável por seu próprio pai. Incapaz de conter a luxúria, até tentando suicídio para impedir de levar o seu plano adiante, a princesa enfim não se conteve e enganou o próprio pai num festival em homenagem à deusa Afrodite.

Num quarto escuro, sem luz, dentro dos padrões sexuais comuns aos festivais à deusa da sedução, o pai foi levado para o quarto onde estava sua filha e, sem saber a identidade da moça, se deitou com ela por doze noites seguidas. Ao fim deste período, quando a verdade foi revelada, a desonra foi demais para suportar. Sua mãe cometeu suicídio pela vergonha e seu pai a condenou à morte por o ter enganado em tão vil embuste. A princesa fugiu desesperada para além das palmeiras da Arábia.

Quando chegou na terra dos Sabeus, descobriu que estava grávida e orou aos deuses por perdão pelos seus crimes. Ela foi transformada numa árvore de mirra, de cuja flor meses depois nasceu o príncipe Adônis. O bebê nasceu tão belo e encantador que as deuses do amor e da morte, Afrodite e Perséfone, se apaixonaram por ele. A criança assim se tornou um problema entre o panteão olímpico, com as duas deusas em pé de guerra por essa disputa. Logo, o próprio Zeus terá que intervir na situação para evitar que aconteça o pior.

 

Metarme

Um vez encerrado o luto por sua esposa Cencreis em razão dos crimes cometidos por sua filha Mirra, o rei Cíniras do Chipre resolveu tomar uma nova esposa. Ele arranjou um casamento com os seus aliados fenícios para firmar ainda mais a aliança entre os dois países. A noiva é a jovem Metarme, filha do rei Pigmaleão e Galateia.

A jovem Metarme é uma recém-chegada no Chipre que pouco atingiu a puberdade já estava casada e numa nova terra. Felizmente, apesar da pouca idade, a jovem é esperta e querida pelo povo de Chipre por seu carisma. Ela sabe como agir para agradar seus súditos. Assim, quando soube da transformação de Mirra e do nascimento fantástico do seu enteado Adônis, a moça tem influenciado o esposo a aceitar a criança de volta ao Chipre.

 

Tíquio

Os recursos naturais da ilha de Chipre cada dia mais atraem a atenção dos reinos do mundo. Todos desejam transformar o cobre da ilha no valioso e versátil bronze que está presente na vida de toda a população atual. A ilha de Salamis da Ática resolveu dar o primeiro passo dentre os povos do Hélade com o rei Télamon enviando seu melhor ferreiro e forjador de armas para avaliar o metal cíprio. O plano é fundar uma colônia para produzir o bronze localmente e enviá-lo até Salamis. Foi com essa missão que o engenhoso Tíquio chegou na ilha do cobre.

Se as informações do ferreiro Tíquio forem positivas e a produção de bronze se mostrar lucrativa, logo a cidade de Salamis enviará um representante da sua família real com muitos colonos para fundar uma nova cidade que se chamará Salamis Cípria. O próprio Tíquio tem mantido um importante contato com os povos de Troia para ambos o rei Télamon e o rei Laomedonte estreitarem as relações diplomáticas entre suas cidades para juntos fundarem essa importante colônia.

 

Peter Paul Rubens 1577-1540)

Kothar, o Sábio

Kothar, o Sábio, recebeu a imortalidade dos próprios deuses por seus bons serviços prestados. Ele é um habilidoso ferreiro, artesão, engenheiro, arquiteto e inventor; e também um adivinho, capaz de criar orações e feitiços sagrados. Ele ajudou o deus Baal Adad na sua batalha contra seu irmão Yam ao forjar duas poderosas maças sagradas capazes de derrotar os próprios deuses. Ele também construiu um magnífico palácio feito de pedras preciosas para o líder do panteão fenício e presenteou a deusa-mãe com belos adornos e tapeçarias.

Kothar não possui uma única morada, mas vive peregrinando entre os três cantos do mundo para manter seu trabalho sempre aprimorado. No Egito, ele mantém uma boa amizade com o deus engenheiro Ptah. No Hélade, mantém correspondência com o deus ferreiro Hefesto. Enfim, na Ásia, possui sua principal morada onde certamente é o maior de todos os construtores. Ele sempre é visto entre o porto de Ugarite e do Chipre em busca de cobre e estanho para forjar o bronze que tanto utiliza em seus trabalhos.