Babilônia

Rei: Adad-Sumiddina
Cidades: Kish, Sippar, Uruk, Nippur e Ur.
Idioma: Acádio

Lamassu,_head_of_a_human-head_bull_from_Khorsabad,_Iraq,_reign_of_Sargon_II,_710-705_BC__The_British_MuseumO deus Marduk passou milênios combatendo os monstros do caos primordial até ser vitorioso contra a terrível Tiamat no final. Ele então retornou à Terra e fundou uma cidade para se tornar o centro de seu culto. Esta era a cidade da Babilônia, onde este deus colocou no átrio de seu templo uma poderosa estátua que detinha sua essência divina. Por quinhentos anos, a babilônia se tornou o maior império da Terra sob a benção do deus Marduk mas sua hegemonia se encerrou quando a cidade foi saqueada pelos povos hititas e teve a estátua levada do seu templo.

O próprio Marduk permitiu a conquista da Babilônia como castigo pelos péssimos reis que seguiram ao grande Hammurabi e  pela boa relação que este deus tinhs com o deus Teshub dos hititas. A própria presença da estátua na capital hititas trouxe grande prosperidade a este novo império em ascensão. No entanto, após a estátua ter retornado à sua cidade de origem, o deus Marduk continuou decepcionado com os reis babilônicos. Ele permitiu que a cidade fosse novamente invadida, desta vez, pelo povo da Assíria.

O rei Katiliasu da Babilônia foi levado como prisioneiro até a capital assíria pra ser exibido como troféu pelo líder conquistador Tuculti-Ninurta. O rei da Assíria então entregou a cidade a marionetes estrangeiras, o que causou uma revolta na população babilônica. Essa população encontrou no filho do rei babilônico deposto um líder para os liderar na liberdade da cidade. O seu nome é Adad Sumusur, filho de Katiliasu, que conseguiu uuma aliança com povos elamitas do leste para confrontar o governo usurpador.

O jovem príncipe Adad Sumusur conseguiu derrotar os governantes Enlil-nadin-sumi e Kadasman-Harbe com ajuda de seus aliados. No entanto, o novo governante instaurado pelo novo governo é mais agressivo contra revoltosos. O novo líder assirio na Babilônia atende pelo nome de Adad Sumiddina, pois, como o príncipe revoltoso, ele também é adorador do deus Adad. Resta saber qual dos dois seguidores desse deus será vitorioso na guerra pelo controle da Babilônia. Os dois exércitos já se preparam para o confronto.

 

assyrian_warriors-e1550759955711Adad Sumusur

Por muitos anos, o príncipe Adad Sumusur era um enviado secreto do seu pai para auxiliar o aliança Hitita-Mitani contra a Assíria. No entanto, essa aliança foi derrotada pelos Assírios na “Batalha de Nairi” que ocorreu nos vales de Ararat. O príncipe Adad Sumusur foi obrigado a retornar para as terras de seu pai, mas o líder Assírio Tuculti-Ninurta exigiu que ele fosse entregue para responder por seus crimes de guerra.

O rei Kastiliasu certamente não entregaria seu filho para a humilhação e morte certa nas mãos dos violentos assírios. O resultado foi a invasão liderada pelo líder assírio que ficou conhecida como a “Batalha da Babilônia”. No fim, a capital babilônica foi saqueada e o rei Kastiliasu foi aprisionado. O príncipe Adad Sumusur conseguiu escapar das garras assírias e não desistiu de lutar contra seu odiado inimigo.

O príncipe Adad Sumusur tem reunido revoltosos ao sul da babilônia entre as cidades de Ur e Nipur, tendo ao lado o poderoso aliado Kidin-Hutran dos povos elamitas ao leste. Juntos, Adad Sumusur e Kidin-Hutran conseguiram sucessos na guerra contra dois governantes assírios. Recentemente, um terceiro líder assírio, chamado Adad Sumiddina, chegou para governar a Babilônia e confrontar o príncipe revoltoso.

 

Kidin-Hutran

Diferentes das terras baixas dos rios Tigre e Eufrates, as terras ao leste da mesopotâmia, chamadas de Elam, são formadas por altas montanhas e longos planaltos. Elas são habitadas desde os primórdios do tempo e sempre dependeram dos alimentos importados da Babilônia para sobreviver. Esse é o motivo que eles enxergam a atual ascensão assíria como ameaça, fazendo seu líder Kidin-Hutran apoiar o príncipe Adad Sumusur, filho do rei babilônico deposto.

As forças de Kidin-Hutran foram particularmente bem-sucedidas no confronto direto contra o primeiro governante assírio na Babilônia chamado Enlil-nadin-sumi. A vitória dos elamitas permitiram que o príncipe Adad Sumusur reorganizasse suas forças para derrotar o segundo líder assírio Kadasman-Harbe. Agora, ambos os líderes da Babilônia e de Elam precisam unir força contra o mais novo inimigo enviado pelo rei assírio, pois o recém-chegado general Adad Sumiddina está disposto a destruir ambos os inimigos de sua nação.

 

Sambethe

PersianSibylByMichelangelo

Michelangelo (1475 – 1564)

A antiga princesa Lâmia do Egito gerou uma filha chamada Sibila, que tomou para si a missão de propagar o culto de seu pai entre os povos do deserto. Ela se tornou assim a grande sacerdote do deus Amon-Zeus. Hoje, seu culto se difundiu rapidamente com dezenas de profetisas por toda a Gaia que recebem o título de “Sibilantes”.

A sibilante da Babilônia se chama Sambethe, descendente direta do sorevivente do Grande Dilúvio. Recentemente, ela recebeu uma revelação quando o líder assírio Adad Sumiddina resolveu trazer de volta a estátua do deus Marduk ao seu templo. No entanto, seu rival babilônio Adad Sumusur prometeu entregar a estátua para seus aliados Elamitas caso a cidade fosse reconquistada. A profetisa sabe que Adad Sumusur será vitorioso no conflito, por isso, ela pretende contratar um grupo de aventureiros capaz de roubar a estátua de Marduk antes que isso aconteça, pois ela tem a certeza que essa promessa causará uma ira divina que levará a cidade à ruína.

 

Tamuz

O pastor de ovelhas Tamuz possui uma relação conturbada com sua esposa Ishtar, a deusa do sexo e da beleza. Quando esta deusa esteve aprisionada no mundo dos mortos por sua irmã gêmea Ereshkigal, ela obrigou o marido Tamuz a tomar o lugar dela no inferno. Tamuz foi assim levado às profundezas contra sua vontade, onde ficou aprisionado por centenas anos.

Felizmente, Ishtar retornou ao mundo dos mortos para salvar o pobre Tamuz que, mesmo após essa injusta punição, nunca deixou de amar a esposa. Ambas as deusas irmãs então firmaram um acordo de que Tamuz poderia passar metade do ano nos céus ao lado de Ishtar e a outra metade nas profundezas com Ereshkigal. E assim todos os anos o ciclo se repete continuamente por milênios.