Iolcos

A Cidade dos Cavaleiros

Rei: Pélias
Território: Tessália
Cidades: Feres, Mirmidão, Fílace e Pítia
Símbolo: O Cavalo Impertigado

Depois do grande dilúvio que exterminou a segunda raça, a Tessália foi povoada por Éolo, neto de Deukalião e o mais poderoso arcano que já pisou sobre o mundo de Gaia. Éolo era detentor do controle total sobre os ventos e adquiriu a imortalidade através da sua magia. Assim, ele governou a cidade de Iolcos por mais de duzentos anos e só abandonou essas terras quando seu grande amor, Enarete, morreu de velhice.

O governo da cidade então passou para Creteu, o primogênito do casal, em seguida, para seu filho Esão. No entanto, havia algo que Esão não sabia sobre sua mãe. Ela se deitou com algum desconhecido e gerou dois filhos bastardos chamados Pélias e Neleu. Estes foram abandonados quando bebês, mas retornariam adultos para reclamar sua herança. Ambos iniciaram uma rebelião que ganhou o controle da cidade Iolcos.

Pélias, em particular, aprisionou o rei Esão e ainda assassinou todos os seus descendentes para impedir a sucessão. Depois, baniu o seu irmão Neleu da cidade para se tornar o único rei de Iolcos. E, com a orientação de seu pai Poseidon, ele domou os cavalos da região para a guerra. Hoje, a Tessália é conhecida por sua poderosa cavalaria.

 

Sociedade

O rei Pélias governa com punho de ferro toda a região da Tessália, mas o povo o adora. O príncipe Acasto, seu filho sucessor, logo deve substituir seu velho pai. Ele também possui alto grau de adoração do povo, fazendo com que o culto a família real em Iolcos seja enorme. Esse culto só não é maior do que o amor dos tessalianos aos cavalos. Considerado artigo de luxo em toda a Micenas, chama a atenção que na Tessália praticamente todas as famílias livres possuam um destes animais. A própria estrutura militar da Tessália os tem como base.

Além dos cavalos e das tavernas, a Tessália se tornou famosa por outra razão. Nesta região ocorre uma guerra centenária entre a cidade humana de Lápite e a comunidade de Centauros. A cidade de Iolcos foi escolhida como representante da região por se manter neutra ao conflito. Recentemente, uma trégua foi realizada entre o líder centauro Quíron e o rei Élato de Lápite, mas as tensões são explosivas como um barril de fogo-vivo. Ninguém espera que essa trégua dure muito tempo.

A Tessália geograficamente se situa no centro do mundo civilizado. É a mais cosmopolita e diversa região de toda Micenas. Comerciantes com ouro da Macedônia, navegantes do mar Egeu, militares do Peloponeso e políticos da Attica podem ser encontrados no local. Os aventureiros, com certeza, não ficam de fora. É dito que: ‘Todos os grandes heróis de Micenas se já não passaram, um dia passarão por Iolcos’. Não é à toa que as tavernas de Iolcos possuem grande fama. São conhecidas como os melhores pontos de informação para tesouros e aventuras.

Charles de LaFosse 1636 – 1716

Acasto

Acasto é o sucessor do rei Pélias na cidade de Iolcos. Como o rei já está em idade avançada, muitas das decisões reais já são tomadas por Acasto. O jovem príncipe é tido como justo e bom por todos. A adoração da cidade de Iolcos por ele é enorme e supera a do pai na grande maioria das vezes.  Para muitos na cidade, ele já é considerado o verdadeiro rei.

Ele também é um exímio guerreiro e caçador e, apesar dos seus deveres reais, mantém uma vida ativa de aventuras. Ele ama o seu pai, embora ambos com freqüência discordem nas opiniões. E apesar de jovem já está casado com a bela Astidâmia.

 

Jasão

Jasão é filho de Esão, antigo rei de Iolcos, que foi deposto pelo seu maligno meio-irmão Pélias. Desde então o pai de Jasão é mantido prisioneiro há décadas pelo rei usurpador nos calabouços da cidade. Durante o tempo nos calabouços, Esão conseguiu encontrar sua fiel esposa Alcimede, filha dos heróis Autolico e Mestra. Um desses encontros resultou no nascimento do herói Jasão.

Alcimede conseguiu esconder a gravidez do rei Pélias. No entanto, quando Jasão nasceu, temendo por sua vida, Alcimede entregou seu filho ao centauro Quíron. O sábio centauro cuidou e treinou Jasão nos conhecimentos da caça, do combate e da vida selvagem. Há alguns meses, o rei Pélias sediou jogos em homenagem ao deus Poseidon. Nesse período, o jovem Jasão decidiu deixar a tribo dos centauros para libertar o seu pai.

Jasão fez questão de se aproximar do rei Pélias que empalideceu quando o viu pela primeira vez. Embora nunca o tenha visto antes ou tido conhecimento de algum possível filho de Esão, o rei Pélias lhe fez a seguinte pergunta: Meu jovem, se você confrontasse o homem que você sabe o levará a ruína, o que faria? Não há dúvidas que o rei Pélias tentará se livrar de Jasão de qualquer maneira.

 

Admeto

Admeto de Feres conseguiu a mão da princesa Alcestis, filha do rei Pélias de Iolcos, em casamento. Certo dia, o deus Apolo, que neste tempo residiu na sua cidade por uma punição que lhe foi dada por Zeus, revelou a Admeto sobre o dia em que as Irmãs do Destino escolheram para sua morte. E o profeta disse qual seria o dia exato.

A angústia de Admeto aumentou à medida que o dia de sua morte se aproximava. Preocupado, ele pediu novamente ajuda ao deus Apolo. O sábio deus convenceu as Irmãs do Destino a trocar a linha da vida de Admeto com a de outra pessoa. Assim, Admeto começou a procurar alguém para assumir o dia de sua morte.

Esse dia começou a se aproximar, mas ninguém aceitou a troca. Nem mesmo os seus pais concordaram. Quando o terrível dia chegou, foi sua amada Alcestis quem morreu em seu lugar. E, quando Admeto viu a alma de Alcestis sendo levada pelas demoníacas Keres, ele descobriu que havia perdido sua razão de viver. Desde então vive obcecado com ideia de trazer sua esposa de volta.

 

Edward John Poynter 1836 – 1919

Asclépio

Asclépio é filho da bela Coronis, a filha do rei oceanida Ásopo. Ela manteve um tórrido romance com o deus Apolo por vários anos que se encerrou abruptamente quando ela traiu seu amante divino. O deus traído a puniu com a morte antes de descobrir que ela estava grávida de seu filho. Felizmente, Apolo ainda conseguiu salvar o pequeno Asclépio do útero da moribunda mulher.

Apolo entregou criança ao centauro Quíron que cuidou de Asclépio e o ensinou a arte da medicina. Quando atingiu a idade adulta, o pródigo rapaz deixou a comunidade dos centauros levando apenas seu cajado com uma serpente esculpida em volta. Desde então, ele tem se tornado uma grande lenda por suas habilidades curativas.

Mesmos os deuses solicitam os poderes curativos de Asclépio. E não é raro aventureiros solicitam sua companhia em aventuras para lhes curar os ferimentos de batalha. Recentemente, Asclépio tem sido visto ao lado de Epione, uma poderosa curandeira. Ambos são considerados deuses em vários lugares de Micenas e muitos especulam um romance.