Esparta

escudo espartaA Cidade de belas mulheres

Rei: Tíndaro
Território: Peloponeso
Símbolo: O Cisne divino

Depois do grande dilúvio de Zeus, as terras do Peloponeso foram povoadas pelas descendentes de Xuto, o neto de Deukalião. No entanto, uma invasão dos povos do deserto liderada pelo rei Lélex mudou a política da região quando fundou várias cidades nas terras da Lacônia. Os dois filhos do rei invasor com uma náiade da região dividiram as terras entre si entre as atuais cidades de Esparta e Messênia. A dinastia espartana assim começou o príncipe Miles, que se casou com que gerou um poderoso neto chamado Eurotas.

Eurotas entregou a sucessão de sua cidade ao seu maior aliado, que também era descendente de oceanidas e casado com sua filha chamada Esparta. O nome desse aliado era Lacedemônio, que chegou na grande imigração oceanida das Plêiades. Desde então, a sucessão da cidade mantém-se na família por várias gerações. Esses descendentes de Lacedemon e Esparta foram os reis Amiclas, Cynortas e Ébalo. Este último casou com a filha do herói Perseus chamada Gorgófone, que se divorciara do antigo rei da ciade rival de Messênia, gerando o rei Tíndaro, que hoje governa a cidade.

O rei Tíndaro é o descendente de quinta geração desde o fundador da cidade chamado Lacedemônio. Ele governa ao lado seus dois filhos homens: os gêmeos Castor e Polux. A lenda conta que, na mesma noite, sua esposa Leda foi concebida por ambos o rei Tíndaro e o divino Zeus. Desta forma, Castor, filho de Tíndaro, é um mortal de grande habilidade e Polux, filho de Zeus, possui força sobre-humana. Ambos são considerados os maiores heróis do Peloponeso.

A cidade de Esparta é centrada no combate e a educação é totalmente subordinada às necessidades militares. Esse foco no combate não visa apenas a guerra, mas também o controle dos escravos. Afinal, o legado de séculos de guerra é a existência de uma média de três escravos para cada cidadão livre. Nenhuma outra cidade micênica depende tantos deles. Assim, o exército do Peloponeso é o mais poderoso de Micenas. A infantaria é a principal força armada e seus membros são extremamente respeitados. Não menos importante é a Marinha responsável por bem-sucedidas expedições no mar Ioniano.

Castor e Pólux

Os irmãos gêmeos Castor e Polideuces são os príncipes de Esparta, nascidos do ventre da rainha Leda, esposa do rei Tíndaro. Mas a história da sua concepção não foi tão simples. Conta a lenda que Leda foi atraída no jardim do palácio real por um cisne. Quando se aproximou dele, o divino Zeus revelou a sua verdadeira forma. A impossibilidade de resistir à magnitude de um deus fez com que Leda engravidasse. Nove meses depois, ela deu à luz a um grande ovo. E, quando esse ovo rachou, surgiram os dois heróis.

Polideuces, carinhosamente conhecido como Pólux, mostrou em sua adolescência força sobre-humana e um tamanho descomunal que confirmavam a paternidade divina. Ele se tornou um mestre na arte de combate, em especial, do boxe. Ele possui uma personalidade forte e arrogante, mas também é conhecido por ser um grande galanteador apesar da rudeza de seus modos.

Castor não apresentou superforça nem qualquer outro poder. Por isso dizem que ele é o filho do rei Tíndaro enquanto o irmão Pólux é o filho de Zeus fecundado na mesma época. Ele é um humano normal, mas, para acompanhar o irmão, treinou arduamente, se tornando um exímio mestre de armas, cavaleiro e estrategista. Ele é mais simples e humilde que Pólux, e um grande negociador. Por essa razão, durante as aventuras, ele cuida da conversa.

[Apolodoro – Biblioteca 1.8.2, 3.10.7, 3.11.2; Ciclo Épico – Cípria: 1, 7; Pindar – Odes de Neméia: 10.55ff; 10.60, 10.80; Homero – Odisseia: 11.298ff.; Higino – Astronomica 2.22; Higino – Fábulas: 14, 77; Ovídio – Fasti: 5.709; Valério Flaco – Argonautica: 1.425. Virgílio – Eneida: 6.120].

Helena

Helena nasceu do ventre da rainha Leda sendo, portanto, irmã mais nova de Castor e Pólux. O rei Tíndaro seria o pai mais provável, no entanto, assim como seus irmãos, Helena nasceu de um ovo. Logo, surgiu a suspeita de que ela também seria filha do poderoso Zeus.

Apesar de Tíndaro ter ainda outras cinco filhas, uma profecia diz que Helena será considerada a mais bela mulher de toda a Micenas e aquele com quem Helena se casar, será o novo rei de Esparta. Assim, muitos são os pretendentes que surgem para garantir um casamento com a criança recém-nascida. Por esse motivo, Tíndaro já resolveu que nada será decidido agora. Só quando a bela princesa atingir a maioridade, ele decidirá uma forma justa para escolher um esposo.

[Apolodoro – Biblioteca: 3.10.7, 3.11.1; Apolodoro – Epítome 3.3, 5.9; Ateneu – Banquete dos Eruditos: 2.57f; Ciclo Épico – Cípria 8, 9; Dictys Cretense 5.5; Eurípides – Helena; Eurípides – Orestes; Eurípides – Troianas; Heródoto – História 2.118; Hesíodo – Catálago de Mulheres: 66, 70; Antônio Liberalis – Metamorfose 27; Partênio – Romances 34; Pausânia – Descrição da Grécia: 2.22.6-7, 3.16.1, 3.19.10; Flávio Filostrato – Vita Apolonis 4.16; Estrabo – Geografia: 9.1.17; Virgílio – Eneida: 6.509.

Peter Paul Rubens 1577 – 1640

Palanto e Aetra

Aethra 3 wept as she saw her husband Palanthus 1‘s fortunes coming to nothing, thus fulfilling the oracle that had declared that the Spartan Phalanthus 1, founder of Tarentum in Italy, would win territory and city when he felt rain under a cloudless sky

[Pau.10.10.7-8].

Hipocoonte

Hipocoonte é o meio-irmão do atual rei Tíndaro de Esparta. Ambos são filhos do antigo rei Ébalo, mas nasceram de diferentes mães. Enquanto Tíndaro nasceu da rainha Gorgófone, o outro é um filho bastardo que nasceu da náiade Batia com quem o rei teve um romance antes do casamento. No entanto, apesar da lei espartana não dar direitos de herança a filhos bastardos, Hipocoonte não vê justiça nessa lei.

Hipocoonte acredita que, por ser mais velho que Tíndaro, ele deveria ser o verdadeiro herdeiro do trono espartano. Ele assim iniciou uma conspiração silenciosa contra seu irmão. Ele tem realizado alianças secretas com o rei Nestor de Pilos e conseguido financiamento do rei Augeas de Elis para erguer um exército próprio. São soldados mercenários liderados por seus vinte filhos homens. São soldados mercenários liderados por seus vinte filhos homens, que foram treinados para a guerra desde tenra idade. Não há dúvidas que a qualquer momento uma rebelião está prestes a explodir e dificilmente o rei Tíndaro conseguirá impedi-la de acontecer.

[Apolodoro – Biblioteca: 2.7.3, 3.10.5; Higino – Fábulas: 173; Pausânia – Descrição da Grécia: 3.14.6].