Elis

escudo-olimpiaA Cidade do Deus-Sol

Rei: Augeas
Território: Arcádia
Símbolo: A Carruagem de Fogo.

A cidade de Elis possui uma história recente com sua fundação pelo infame Salmoneu, que é considerado a ovelha negra da família real da Tessália. Ele era o filho de Éolo, senhor dos ventos e antigo rei de Iolcos, que criou para si um culto de fanáticos. Ele era tão arrogante que clamou ser ele o próprio Zeus, pois era capaz de mimetizar os relâmpagos e trovões deste deus, mas Zeus decidiu castigar esta arrogância ao enviar um raio desde os céus que o fulminou junto com seus seguidores.

Após a morte de Salmoneu, sua irmã Calice decidiu tomar para si a sua herança. Ela viajou com um grupo de colonizadores até a cidade fundada pelo irmão com seu esposo Endimião, o mesmo que ficou famoso por seu romance com a deusa-lua Selene e por acordar de seu sono secular. Ambos refundaram a cidade de Salmoneu com o nome de Elis e iniciaram o seu povoamento. O rei Endimião foi sucedido por seus filhos Epeio e Étolo, mas quando este último foi condenado ao exílio por ter matado acidentalmente um homem da Arcádia com sua carruagem, foi sucedido pelo sobrinho Eleio. Por fim, Eleio foi sucedido pelo atual rei Augeas.

Sociedade

O rei Augeas conseguiu adquirir uma grande riqueza ao longo dos anos. Ele é famoso por seu invejado curral que possui milhares de bois. Este curral é tão gigantesco que por anos ficou impossível de ser limpo. Todos comentam que é possível saber que se está chegando na cidade de Elis quando se começa a sentir o cheiro de estrume no ar. Assim, diferente do resto do Hélade que tem os caprinos como principal carne, o povo de Elis possui carne bovina em abundância que exporta para várias cidades.

A riqueza de Augeas, no entanto, fez a arrogância lhe subir a cabeça. Como seu antepassado Salmoneu, ele recentemente tem propalado para toda sua população que ele próprio é um deus. Ele acredita ser o filho do deus-sol Hélio tendo solicitado que poderosos magos e construtores lhe fizessem uma réplica da carruagem de fogo deste deus. Assim, os templos de colunas douradas ao deus-sol tem se espalhado por toda Elis e Arcádia. Outra vez, Elis tem se tornado um antro de seguidores que cultuam o falso deus Augeas.

 

helios_lacma_m_88_91_106-e1551064790233.jpg

Hendrik Goltzius (1558-1617)

Agastenes e Fileu

O rei Augeas hoje atinge uma avançada idade e ao longo dos anos teve muitos filhos com várias esposas. Dois desses filhos, no entanto, se destacam por terem relações bem diferentes com o pai e percepções contrárias ao desejo do pai em ser cultuado como uma divindade viva e filho do deus-sol.

O príncipe Agástenes sempre foi fiel ao pai, sendo a favor da noção do seu pai ser visto como uma divindade e desejando expandir esta noção além da Arcádia. O príncipe Fileu, por outro lado, acredita que o pai está louco e colocará tudo a perder com essa ilusão de se tornar um deus. Ambos também discordam dos planos que seu pai tem para destituir o governo de Esparta para colocar uma em seu lugar.

 

Molionidas

Os gêmeos Cteato e Eurito nasceram com uma má-formação que une seus corpos juntos. A maioria poderia ver isso como um infortúnio, mas seu pai Actor viu como uma benção. Ele resolveu treinar os seus filhos na arte do combate utilizando essa má-formação em sua vantagem. Hoje, esses gêmeos siameses são capazes de lutar com armas e escudos empunhados em cada um dos seus quatro braços com grande habilidade.

Os irmãos são capazes de combater com tanta harmonia em seus corpos que são considerados uma única pessoa. Eles são o “Molionidas”, o maior guerreiro de toda Arcádia e líder do exército do rei Augeas. Hoje, eles estão preparados para guerra. Afinal, o seu rei disse que a qualquer momento uma rebelião ocorrerá na cidade de Esparta e ele dará todo apoio ao revoltoso Hipocoonte, que deseja tomar o trono da cidade para si.

 

Atreu e Tieste

O rei ancião Pélope de Olímpia, ao longo da sua extensa vida, infiltrou os seus filhos nas principais cidades do Hélade através de casamentos e alianças políticas. Para alguém que não nasceu de uma família nobre, sempre foi o seu maior desejo engrandecer sua Casa e seus filhos sempre o deixaram extremamente orgulhoso como a ambição, frieza e coragem que lhes são características. A frieza, em especial, são características muito presentes nos irmãos Tieste e Atreu, que parecem ser incapazes de possuírem compaixão por outro ser humano.

Esses dois irmãos assassinaram seu meio-irmão caçula Crísipo por pura inveja, já que este era uma bela criança que o próprio pai Pélope considerava seu filho favorito. Este rei ficou tão arrasado com a perda que culpou e assassinou sua esposa na busca por um bode expiatório. Os dois irmãos então fugiram da cidade natal para a cidade de Micenas, mas ambos são tão propensos à intriga que hoje o próprio Tieste está tendo um romance com a esposa de seu irmão Atreu. Não há dúvida de que, não importa onde estes dois irmãos estejam, eles sempre parecem levar consigo muita confusão.

 

b7fdbef62f019deb88b9c01c8aafc36f

August Theodor Kaselowsky, 1810-1891

Pélopes

Muitas décadas atrás, o magnífico condutor de carruagens Pélopes foi trazido ainda criança do deserto de Faeton até as terras micênicas pelo seu pai Tântalo. Depois de seu sucesso em Micenas, Tântalo resolveu agradar os deuses com um ritual macabro de sua terra natal. Ele sacrificou seu próprio filho Pélopes, esquartejando seus ossos e oferecendo sua carne aos deuses.

Os deuses Olimpianos ficaram chocados com o terrível rito canibal de Tântalo. Eles ressuscitaram o pequeno Pélopes, mas o osso do seu ombro nunca foi encontrado. Os deuses colocaram uma peça de prata em seu lugar, o que lhe forneceu incríveis habilidades. Com essas habilidades, Pélopes se tornou o maior aliado do heroico Perseu quando este forjou a civilização micênica.

Pélopes ganhou renome ao derrotar o antigo rei Enomau de Olímpia numa disputa de carruagens, recebendo a mão de sua filha em casamento. Quando sucedeu o sogro no trono da cidade, elevou a insignificante Olímpia ao status da mais influente cidade do Peloponeso através dos jogos de Olímpia. Atualmente, com mais de oitenta anos de idade, Pélopes é o último dos companheiros de aventura do herói Perseu ainda vivo e ativo na sociedade micênica.

A influência deste rei é tão imensa que as terras do Peloponeso receberam esse nome em sua homenagem. Não apenas pelos jogos olímpicos, mas também pela influência de seus muitos filhos que estão espalhados por todo o império. Por exemplo, seus filhos  Copreu e Niccipe assumiram o controle da cidade de Micenas. A filha Eurídice foi casada com o rei Eléctrio. Através do filho Piteu, o príncipe Teseu de Atenas é seu bisneto. E, através do filho Alceu, o herói Héracles também. Além destes, existem muitos outros heróis gerados de sua vasta prole, incluindo os nascidos dos casamentos de quatro de suas filhas na Casa de Perseu.