Delfi

A Cidade dos Oráculos

Rei: Náubolo
Território: Fócida
Símbolo: O Ônfalo Divinatório

A região de Delfi já era sagrada por Zeus que fincou a pedra que o titã Crono engoliu pensando ser seu filho e foi vomitada junto com seus irmãos quando ele foi derrotado. No entanto, o crescimento de uma cidade realmente começou quando o deus Apolo combateu a grandiosa serpente Pitão há sete gerações. Ele enterrou o corpo da serpente no vale do monte Parnasso onde conheceu Corcícia, filha do líder oceanino Céfisso. Corcícia e Apolo tiveram um romance que gerou o filho Lícoro. O deus Apolo também escolheu uma mulher pura de coração e alma para lhe representar. Esta recebeu o novo nome de Pítia, o maior dos oráculos.

A linhagem do Corcíria continuou através de Lícoro, Hiamo, Cealeno e o rei atual Delfo, que hoje é o sacerdote maior da cidade de Delfi. O próprio deus Apolo garantiu que novos sacerdotes chegassem à sua cidade quando se transformou em golfinho e se revelou para marinheiros cretenses no mar Ioniano os convocando para seu culto. Cada vez mais pessoas foram chegando na cidade incluindo novos profetas de outras religiões como sibilantes, egípcios e hitita. Recentemente, uma cidade foi fundada no caminho até os locais sagrados. Está ficou conhecida como a cidade de Fócida que hoje é governada pelo rei Naubolo.

Sociedade

Antes de chegar no templo da profetisa Pítia, sagrada por Apolo, é preciso passar pelas terras da Fócida onde centenas de profetas verdadeiros e charlatãos se oferecem como alternativas para o disputadíssimo Oráculo de Delfi. Afinal, se às vezes é preciso esperar semanas para conseguir uma audiência com a profetisa e muitas vezes sem nem conseguir isso de fato, o que custa ouvir outros advinho nesse tempo. A cidade de Fócida assim sobrevive de alugueis e taxas cobradas por estes profetas, o que fez do rei Naubolo um homem rico.

Milhares de pessoas peregrinam para região em busca de Pítia, o Oráculo de Delfi. Entre eles, ilustres figuras da história miceniana. A lista inclui os reis Acrísio de Argos, Egeu de Atenas, Átamas de Atamântia, Édipo de Tebas, Laio de Tebas, Pélias de Iolco, Tieste de Argos e Ínaco, deus-rio. Além dos heróis Héracles, Jasão, Cadmo e Teseu. E, até hoje, as profecias de Pítia nunca falharam. O seu templo mais antigo era feito de ramos de louros vindos das terras de Tempe na Tessália onde Apolo foi purificado. O segundo templo foi construído com cera de abelha e penas. O terceiro e atual templo foi feito em bronze, mas isso pouco importa, pois são as palavras da sacerdotisa que realmente importam. 

 

Ífito, o corajoso

O príncipe Ífito é o filho sucessor do rei Naubolo na cidade de Fócida. Ele e sua irmã Antifateia tiveram uma vida confortável no palácio  do seu pai Naubolo, mas hoje atingem idades decisivas em suas vidas. Enquanto sua irmã Antifateia prepara suas malas para partir para as terras de Egina, pois seu pai negociou um acordo matrimonial com o príncipe Criso desta ilha, o príncipe Ífito viajará para ainda mais longe.

O jovem Ífito é conhecido por sua bravura e capacidade de liderança. Ele sempre teve o melhor que a educação pode oferecer à um príncipe guerreiro. Ele se tornou especialmente habilidoso com o escudo e a lança. Ele inclusive se tornou voluntário na já lendária expedição às terras de Cólquida para recuperar o Tosão Dourado ao rei Pélias. Assim, ele já prepara suas malar para partir para a cidade de Iolcos.

 

Olen

O profeta Olen estabeleceu uma casa de divinação na cidade de Fócida para aqueles que não conseguem uma audiência com o famoso Oráculo de Delfi. Felizmente, embora os primeiros anos tenham sido difíceis, o velho profeta tem conseguido ganhar cada vez mais renome com seus acertos.

O profeta veio de longe para se estabelecer na cidade. Dizem que ele veio de terras muito mais ao norte do que a Trácia, na região hoje conhecida como Hiperbórea. Ele chegou na Fócida com outros dois homens chamados Págaso e Agyieu, que o auxiliam a manter a casa de divinação. O primeiro cobra as senhas para a audiência com o profeta enquanto segundo o auxilia no espetáculo de fumaça e luzes que é oferecido.

 

Dafne

A pequena Dafne é filha do famoso profeta e conselheiro Tiresias da cidade de Tebas, que já viveu por sete gerações sobre a terras graças a uma benção do próprio Zeus. Apesar de Tirésias ter tido muitos filhos em seus muitos anos de vida, ele nunca possui um sucessor com os mesmo poderes de revelação que lhe deram fama. Essa espera pode ter acabado com o nascimento da pequena Dafne.

A criança foi levada até a cidade de Delfi por seu pai para saber sobre seu potencial divinatório. O oráculo de Delfi revelou que havia sim muito potencial na criança, mas ela só receberia dons tão grandiosos quanto os paternos após um grande sofrimento em sua vida. Caso ela retorne para a cidade de Tebas, ela sofrerá todo o martírio e tortura para inciar seus dons. Caso fique longe de Tebas, poderá viver uma vida tranquila e feliz como uma pessoa comum.

Por enquanto o pai decidiu que a criança ficará em Delfi para poupá-a de qualquer sofrimento, mas o dom da divinação é algo extremamente raro, de forma que há interesses ocultos que desejam ver que Dafne sofra todo o necessário para desenvolver os seus poderes. O obscuro culto das sibilantes, em especial, deseja que a menina uma dia cresça para se tornar uma de suas profetisas.

 

Thyia e Castálio

A profetisa Thyia passou anos como parte da comitiva, chamada de Ménades,  que acompanha o deus viajante Baco Dionísio pelos festivais de adoração ao vinho e às orgias que este realiza através do mundo. Ela decidiu que o caráter itinerante dos festivais deste deus talvez não seja a melhor forma de disseminar o seu culto. A melhor forma de trazer mais seguidores ao renascido seria através de um local fixo de adoração. Ela decidiu assim fazer da Fócida a sua morada.

Orgias ritualísticas e o ato sexual com estranhos como oferenda aos deuses é algo comum por todo o Hélade. As casas de Afrodite existem em todas as grandes cidades danaãs e acumularam riquezas com a cobrança de seus serviços sexuais. A profetisa se aproveitou da ausência dessas casas nas terras próximas de Delfi para fundar ali a primeira casa dedicada ao sexo sagrado. Lá, curiosos e seguidores de Dionísio podem participar de bacanais ritualísticos todos os dias da semana com os sacerdotes e sacerdotisas do templo em troca de oferendas ao templo.

A própria Thyia está pronta para fazer homens e mulheres alcançarem o êxtase divino com seu talento, mas ela possui toda uma equipe de sacerdotes e sacerdotisas para os mais diferentes gostos. Até mesmo o filho do sumo-sacerdote de Apolo, chamado de Castálio é um grande entusiasta do poder divino do sexo. Ele costuma dizer que pelo menos uma vez na vida todo homem e toda mulher deve entregar seus corpos ao deus do sexo para compreender melhor o sentido da vida. Afinal, o sigilo é garantido através de máscaras reluzentes em certos dias da semana. E o próprio Castálio está mais do que feliz em também oferecer seus talentos a homens e mulheres que o procuram no templo.

 

Eugene Delacroix 1798 – 1863

Pítia

Há mais de um século, o deus Apolo derrotou o dragão Píton. Ele enterrou o corpo abatido da criatura sob o vale do Monte Parnassos, onde fundou o Templo de Delfi e escolheu uma jovem de coração puro chamada Xenoclea para manifestar seus poderes e propagar suas palavras divinas. A jovem passou a ser conhecida como: Pítia, o Oráculo de Delfi.

Atualmente, milhares de micênicos deixam suas casas em jornada ao templo que está localizado a dois dias de viagem de Tebas. Desejam ouvir Pítia que, apesar da idade secular, não aparenta mais que vinte anos de idade. Essas pessoas buscam respostas para suas dúvidas e problemas. E sempre recebem o que procuram. Os poderes arcanos e dons proféticos de Pítia são certamente extraordinários e incomparáveis.