Dardânia

A Cidade da Deusa-Mãe

Rei: Cápis
Idioma Local: Anatólio (variante luwiano)

O culto às divindades em Creta acredita que há uma deusa maior que deu origem a todos principais panteões do mundo. Assim todas centenas de deuses que existem no mundo e em outras nações possuem regência sobre os homens e devem ser adorados, mas sua autoridade vem dessa deusa. Como um filho respeita sua mãe, todos esses deuses se ajoelham e prestam honras que recebe muitos nomes conforme os povos: para os helenos é Reia, para os asiáticos é Ninhursag, para os egípcios é Ísis e para os cannanitas é Shala. O povo da Dardânia a chamam de Cibele, que é retratada como uma mulher esguia, de alva tez e cabelos negros. Ela veste uma coroa de flores na cabeça e uma longa saia.

A deusa rege sobre os casamentos, os nascimentos e a sexualidade de todos os povos. Ela também é um criatura imortal que transita entre o mundo físico e mundo espiritual, sem nunca envelhecer ou ser morta, pois ela nasceu diretamente da própria Terra e do Céu. O povo de Dardânia existe há muitos séculos, mas a dinastia atual é bem recente e governa esta cidade há poucas gerações. O rei Dardano, cujo nome rebatizou a cidade, filho das montanhas e da estrangeira do oeste chamada Electra, se casou com uma princesa local chamada Crise, que era filha do rei Teucro. Ele renomeou a cidade para se chamar Dardânia, que hoje é governada pelo seu descendente: o rei Cápis.

 

Anquises

O príncipe Anquises é o filho do rei Cápis de Dardânia. É um rapaz jovem e esbelto que herdou as belas feições que fazem a fama da família real de Troia e da Dardânia. Recentemente, o jovem ganhou fama quando seu pai recebeu a deusa da sexualidade e das relações carnais em seu palácio. A deusa inicialmente não revelou sua natureza imortal para o jovem que cuidava do seu gado próximo ao monte Ida. Ela estava banhada em óleos celestiais e vestia um manto de ouro para o seduzir. E assim o fez. 

O príncipe Aquises tocava sua lira quando a donzela de com joias em fora de flores, vários colares e cabelo trançado se aproximar dele. A beleza era tamanha que Anquises percebeu estar diante de uma deusa embora esta tenha negado. Ela disse que era apenas a filha do nobre Otreu. Em seguida, demandu: Tome-me agora!. E assim o príncipe se deitou com a deusa imortal. Essa união gerou um fruto que hoje é venerado por toda a cidade. Nove meses depois, a deusa surgiu frente ao amante e lhe entregou um bebê, a quem chamou de Eneias e que hoje vive no palácio.

 

Antenor

O líder dos guerreiros de Dardânia chama-se Antenor cujos guerreiros juraram obediência ao rei Cápis. É nesta região que o guerreiro vive com seus filhos Acamas e Arquéloco, que estão sendo na arte do combate para se tornarem grandes guerreiros. Não há dúvidas que um dia substituirão o pai nesta missão.

Recentemente, o líder guerreiro escutou as profecias sobre uma destruição que recairá sobre a cidade vizinha deTroia. Muito se tem falado sobre este evento, muito se assusta com a possibilidade, mas Antenor já garantiu que seus exércitos estão prontos para defender a Dardânia e todos os seus aliados se assim for necessário.

 

Ganimedes

Ganimedes foi considerado o homem mais belo de sua geração. O próprio Zeus se encantou com sua beleza fascinante de cabelos dourados e face angelical. Ele era um príncipe da cidade de Troia, filho do rei Tros com a rainha Calírroe. divino Zeus o contemplou nas imediações da cidade enquanto cuidava dos rebanhos do pai, á águia divina foi enviada para o capturar.

O jovem foi presenteado com a imortalidade e hoje vive no próprio monte Olimpo onde tem a função de servir o néctar e a ambrósia da imortalidade aos deuses. No entanto, a dor do pai de Ganimedes com o desaparecimento do filho foi insuportável até mesmo para os deuses suportarem. Por isso, Zeus enviou o seu mensageiro Hermes até o rei Tros para contar o ocorrido. O líder dos olimpianos também entregou ao rei uma consolação através de belas éguas. São criaturas ágeis e sobrenaturais que fazem da cavalaria da cidade de Troia e de Dardânia uma das mais poderosas do mundo.

 

Electra

Décadas atrás, uma bela naiade das terras do Hélade que se chamava Pleione foi cortejada por caçador que ficou obcecado por sua beleza. A mulher fugiu de sua perseguição doentia até o extremo oeste já nas montanhas do Atlas onde se apaixonou pelas montanhas titânicas da região que seguravam o firmamento em seu lugar. O amor de Pleione com as montanhas fizeram com que engravidasse e tivesse muitos filhos. Em seu primeiro parto, ela gerou sete mulheres gêmeas chamadas de plêiades, que deram origens a muitos povos.

A mais nova dessas mulheres se chamava Electra chegou das terras oeste primeiro na ilha da Samotrácia onde aprendeu os ritos de adoração à Deusa-Mãe. Depois, emigrou com seus dois filhos Iasion e Dardanos para as terras que hoje são conhecidas como Dardânia para propagar os segredos espirituais da maior das deuses. O seu filho Dardano cresceu tanto em importância e influência no local que se tornou líder deste povo e originou uma nova dinastia. Hoje, após o falecimento do seu filho Dardano, são seus familiares que ainda estão no poder.

A bela Electra  cabelos brancos e a pele enrugada, mas sua vitalidade ainda se exalta nos olhos e na sua devoção. Ela vive nas montanhas da Ida onde faz suas orações e presta sacrifícios para a Deusa-Mãe que sempre a guiou. Muitos ainda hoje buscam orientação da sacerdotisa para seus aliviar suas dores e viver um novo estilo de vida.

 

Afrodite

Carl Spitzweg 1808- 1885

A essência de Afrodite nasceu de três deuses primordiais: Céu, Terra e Mar, cujo sêmen do primeiro fertilizou o segundo, que caiu no terceiro, onde a deusa foi concebida. Esse evento ocorreu durante o confronto entre o titã Krono e seu pai primordial Céu, que terminou com a castração deste último. Essa essência, no entanto, embora tenha se formado no Mar, incorporou uma das filhas de Zeus com a ninfa Dione, gerando assim a bela deusa.

Afrodite é a deusa do amor e da luxúria. É conhecida como a ‘Amiga-dos-Sorrisos’, sempre amando a alegria e o glamour. O seu culto é permeado por festas luxuriosas chamadas de Afrodisíacas, celebradas secretamente por toda civilização Danaã. Por essa razão, não se satisfez em ser a esposa caseira do trabalhador Hefesto. Ela sempre ansiou por mais. Certamente, seus rituais são os mais exclusivos do Hélade, onde a libido e a liberdade sexual são enaltecidas. Apenas pessoas selecionadas e convidadas pela deusa podem participar do seu culto. Por essa razão, nenhum das doze cidades capitais possui Afrodite como deusa patrona. Afinal, os seus rituais não são para qualquer um. Mas nem sempre a deusa foi tomada pela luxúria. Mesmo antes, já possuidora de grande poder sedutor, ela causava discórdia entre os deuses, apaixonados pelos seus encantos. A deusa desprezou todos, como se nada fossem.

Para evitar os conflitos criados pelos desejosos por sua filha, Zeus obrigou-a casar com o horrível Hefesto. O deus Hefesto utilizou toda sua perícia com metais para cobri-la com as melhores jóias do mundo, incluindo um cinto mágico do mais fino ouro, entrelaçado com filigranas mágicas que a deixava ainda mais sedutora. Infelizmente, a cada dia, Afrodite tornava-se mais desgostosa com o casamento arranjado. Foi quando encontrou um amante, o deus Ares, traindo assim o seu marido. O seu romance com Ares terminou quando Hefesto pegou em flagrante os amantes na cama. Hefesto, desejando castigar esses amantes, prendeu-os com uma rede enquanto se abraçavam nus. Mas Hefesto ainda não estava satisfeito com a sua vingança. Ele convidou os outros deuses do Olimpo para ver essa vergonha. Alguns conseguiram olhar apenas a beleza de Afrodite. Outros desejaram trocar de lugar com Ares. Todos zombaram do casal entrelaçado e do enganado deus Hefesto.

Alguns vêem Afrodite como uma deusa promíscua devido sua sexualidade liberal. No entanto, essa condenação vem do medo dos homens frente à sua natureza incontrolável e completa independência. Exceto pelos deuses mais velhos (Zeus, Hades e Poseidon), Afrodite teve romance com todos os outros olimpianos. Ela foi casada com Hefesto. Viveu um caso com Ares cujo os frutos foram Fobo, Deimo e Harmonia. Esteve na cama com Hermes gerando o belo Hermafrodito e caprichoso Eros. E teve uma aventura com Apolo surgindo Himenaios, senhor do casamento. Entre os mortais, divertiu-se com Dionísio Báco gerando Comus, patrono das festas. Esteve com Anquises de quem descende o herói Eneas de Tróia. E, hoje, vive um romance com o heroico Butes de Siracusa.