Ciconia

Rei: Trezeno

The Ciconians or Cicones, who lived on the southwestern coast of Thrace, sided with Troy against the Achaean invaders during the Trojan War. On this occasion they were led by Euphemus 2 (son of Troezenus, son of Ceas), who may therefore be counted among the TROJAN LEADERS. Another Ciconian leader during the Trojan War was Mentes 1, in whose shape Apollo adressed Hector 1, encouraging him to fight for the arms of the dead Patroclus 1. The fate of these two leaders has not been reported.

After the sack of TroyOdysseus, on his homeward way, came with his twelve ships to the land of the Cicones, where he pillaged the city of Ismarus, not sparing anyone except a priest of Apollo called Maron 1, son of Evanthes 1. This Evanthes 1, who reigned in Marioneia, is said to be the son of Oenopion 1 (son of Ariadne, either by Theseus or by Dionysus 2), the one who blinded Orion.

In the land of the Ciconians, the Achaeans gave themselves to plunder and murder, and when they had taken women and treasures, Odysseus said to his men that they ought to be off, but as his soldiers enjoyed the Ciconian wine and food, they kept drinking and butchering animals by the shore, refusing to leave. Meanwhile, the Ciconians received reinforcements from their up-country neighbors, who were well trained at fighting from chariots or on foot. When they had grouped, they attacked the Achaeans by the ships and, after fighting for a whole day, they broke their ranks. This is why the Achaeans put to sea and fled, having suffered what may be considered as “heavy losses” since more than seventy men belonging to Odysseus‘ army were killed.

Carnabon. King of the Getae in Thrace who came into power when grain was first given to men [see also Lyncus, and CONSTELLATIONS] [Hyg.Ast.2.14].

 

Eufemo

Em construção. Filho de Trezeno.

 

Reso e Argantone

Arganthone is the famous huntress from Cius, a city in northern Mysia near Mount Arganthonius (Turkish city of Gemlik), who fell in love with Rhesus 2, the chieftain who came from Thrace to fight at Troy and died the day after his arrival. When she heard that Rhesus 2 had perished, she let herself starve to death [Parth.36].

Eioneus 2. Father of Rhesus 2, who came from Thrace to fight at Troy and died the day after his arrival. Some say that Eioneus 2 is the previous name of Strymon 1 (one of the RIVER GODS) [Con.4; Hom.Il.10.435].

 

Agrio

Filho de Gaia, foi morto pelas Moerae com clavas de bronze.

 

Fobo, Deimo e Adrestia

Esses são os irmãos de Diomedes nascidos da união do deus Ares com a deusa Afrodite. Eles são os generais dos exércitos da Trácia. E compartilham entre si de uma insaciável sede de sangue e violência. Eles não entendem a paz criada por seu irmão e o pressionam para a guerra.

Fobo e Deimo são as representações do medo e do terror que eles criam nos seus adversários. A ferocidade dos dois nos combates faz jus à descendência de Ares e a beleza de seus movimentos revela a descendência de Afrodite.

Adrestia é uma poderosa guerreira que poucos são capazes de derrotar. Ela é a pura personificação da vingança e do desejo por destruição. É aquela que mais pressiona o líder Diomedes a atacar o débil povo de Micenas.

 

Ares

Peter Paul Rubens 1577 – 1640

Ares, deus da guerra selvagem e sangrenta, é a matança personificada. É conhecido como ‘Destruidor-de-Homens’. Ele nasceu da união dos deuses Zeus e Hera. E residiu por muito tempo entre os bárbaros e trácios belicosos. Só se retirou do local para trair o seu irmão Hefesto, tomando sua esposa Afrodite como amante.

A paixão secreta foi revelada ao cônjuge traído Hefesto que viu os amantes ilícitos. Hefesto prontamente conseguiu pegar Ares e Afrodite em flagrante e, no momento apropriado, arremessou uma rede, prendendo o casal em abraço erótico. Mas Hefesto ainda não estava satisfeito com a sua vingança. Ele convidou os outros deuses Olímpianos a examinar o casal infeliz. Alguns comentaram a beleza de Afrodite, os outros desejaram trocar ansiosamente de lugar com Ares, mas todos zombaram dos dois.

Do seu romance com Afrodite, nasceu Deimo, o terror; Fobo, o medo; e Adrestia, a vingança. Todos, companheiros de Ares na guerra. A sua irmã Eris, deusa da Discórdia, também filha de Zeus e Hera, é outra companhia constante. E, aquela com quem divida a cama, Enio, deusa da guerra e filha da Noite, com quem teve o belicoso filho Enialios, divide também o derramamento de sangue e a insensata violência.

O seu caso com Afrodite também gerou uma filha menos ligados aos gostos do pai: a heroína Harmonia. Esta se casou com o herói Cádmo, amigo de Perseu e fundador da cidade de Tebas. Mas é na cidade de Esparta que Ares possui a maior adoração. Uma grande estátua, com o deus Ares acorrentado, pode ser vista para mostrar que o espírito da guerra nunca deixará a cidade.

O deus Ares também tomou várias amantes humanas e ninfas com quem gerou muitos descendentes guerreiros. Em especial, a rainha Otrera da Temiscira (gerando amazonas Hippolita, Pentesilea, Antiope e Melanippe), Bistonis (gerando o psicopata Tereu), Pirene (gerando o vil Cicno), e com mãe desconhecida gerou o líder selvagem Trax.