Demônios da Noite

Os filhos da Noite Negras e da Escuridão

  1. Caronte: o balseiro do Hades
  2. Parcas: as irmãs do destino
  3. Moiros: os demônios do destino
  4. Tânato: o demônio da morte
  5. Keres: as coletoras de alma
  6. Hipno: o demônio do sono
  7. Oneiros: os demônios dos sonhos
  8. Nêmesis: o espírito da justiça
  9. Áclis: a demoníaca da miséria
  10. Eleos, Eros e Filote: os demônios do amor
  11. Éris: a demoníaca da intriga
  12. Aras: a demoníaca das maldições
  13. Momo: o demônio do desprezo
  14. Oizis: o demônio da ansiedade
  15. Dolo e Apate: os demônios da mentira
  16. Geras: a demoníaca da velhice
  17. Lissa: a demoníaca da loucura

Caronte

O Balseiro do Hades 

Luca Giordano 1632 – 1705

Quando um micênico morre, antes de ser enterrado, deve ser colocada uma moeda em sua boca. Essa é a “Moeda de Caronte”. Ela tem a função de pagar a travessia pelos rios Estinge e Aqueron para os Campos de Asfodelos onde as almas residem por toda a eternidade. Caronte, filho da Noite e da Escuridão, é o demônio que em sua balsa realiza incansavelmente a travessia desde o início dos tempos.

A sua aparência é de uma criatura humanoide cujo corpo é completamente coberto por um manto e capuz negro sujo da lama do rio Estinge. São visíveis apenas os olhos flamejantes reluzentes na sombra negra de seu manto que esconde sua face e as mãos esqueléticas com apenas restos de carne pútrida. As suas ordens são de sempre levar as almas ao Hades e nunca as trazer de volta.

Estatísticas de Combate
Ataque: 1 (Garras)
Defesa: 1 (Esquiva)
Dano: 1 (Força 1)
Proteção: 1 (Nenhum)
Vigor: 1
Ataques Especiais: Longevidade 3 (Imortal, retorna dos mortos na rodada seguinte de sua morte); Paralisia Mental / Pavor 3 (contra Vontade).

Parcas

As Irmãs do Destino

Friedrich Paul Thumann 1834 – 1908

As Moiras são filhas da primordial Noite e do divino Zeus. Diferente dos profetas que apenas lêem os destinos, as três irmãs são responsáveis por escrever os destinos de todos os humanos.

Esse destino é escrito através de um carretel de algodão. Cloto é a fiandeira pré-adolescente que indica o momento do nascimento. Láquesis é a mulher madura que distribui o tamanho do fio conforme quão longa será a vida. E Átropo é a anciã inflexível que corta o fio indicando como será a morte.

Uma vez escrito o destino, ele não pode ser mudado. Essa é a função do servil demônio Moro, filho da Noite e Escuridão. Não importa quem, como, quando ou porque, ele quem dirige os eventos até o seu final. Nem mesmo Zeus, pai das irmãs do destino, tem o poder para lhe deter.

Estatísticas de Combate (em conjunto)
Ataque: 2 (Poderes)
Defesa: 2 (Esquiva)
Dano: 50 (Rajada de Dano 25)
Proteção: 25 (Campo Força 25)
Vigor: 1
Ataques Especiais: Rajada de Dano 25: Átropo (Dano 50); Campo de Força 25 (protege as três): Láquesis; Conjuração 25: Cloto (Faz nascer uma criatura poderosa ou várias que causam pequeno dano). Nota: Elas atacam em conjunto como uma criatura única, mas morrendo uma as outras desistem.

Moiros

Os demônios do destino

Existem três grandes reinos espirituais que subdividem o Mundo Espiritual de Hades. As Irmãs do Destino presidem sobre o tempo; Tanatos preside sobre os mortos; e Hipnos preside sobre os sonhos. Estes três governantes possuem demônios menores, que os ajudam a cumprir suas funções. No caso das Irmãs do Destino, estes demônios são conhecidos como Moiros. São criaturas invisíveis, sem forma, que convivem entre os homens para garantir que o cumprimento dos destinos que lhe foram reservados.

Estatísticas de Combate
Ataque: 2 (Garras)
Defesa: 2 (Esquiva)
Dano: 4 (Força 2 + Garras)
Proteção: 1 (Nenhum)
Vigor: 2
Ataques Especiais: Invisibilidade 1.

Tânato

O Demônio da Morte

Émile Jean Horace Vernet 1789 – 1863

Tanatos é o irmão gêmeo de Hipnos, o demônio do sono. Ambos são filhos dos primordiais sombrios Noite e Escuridão. Tanatos não possui alinhamento. Ele não é mal ou bom, mas ninguém o quer por perto. O seu trabalho é capturar as almas cujo tempo, conforme definido pelas Moiras, chegou ao fim. Dessa forma, ele é conhecido como o demônio da morte.

Ele utiliza um exército de demônios menores conhecidos como Keres para realizar o seu trabalho. Esses demônios coletam as almas das vítimas após beber seu sangue e comer sua carne. Essas almas são então levadas às portas do submundo nas margens do rio Estinge. Quando as almas são entregues ao demônio Caronte, o seu trabalho está terminado.

Estatísticas de Combate
Ataque: 3 (Mordida)
Defesa: 3 (Esquiva)
Dano: 10 (Força 3 + Espada da Morte)
Proteção: 10 (Armadura)
Vigor: 3
Ataques Especiais: Teleporte 3.

Keres

As Coletoras de Almas

As Keres são mulheres demônios com aparência de sombras negras com garras afiadas e olhos implacáveis. Elas possuem uma avassaladora sede por sangue humano, por isso, são mantidas presas no submundo pelo deus Hades.

O demônio Tanatos é quem controla essas perversas criaturas. Ele libera sua fome sobre os homens cujo tempo na Terra terminou. Dessa forma, elas lutam contra esses homens a beira da morte para beber o seu sangue e carregar a sua alma para o mundo dos mortos.

 Estatísticas de Combate
Ataque: 2 (Garras)
Defesa: 2 (Esquiva)
Dano: 4 (Força 2 + Garras)
Proteção: 1 (Nenhum)
Vigor: 2
Ataques Especiais: Invisibilidade 1.

Hipno

O Demônios do Sono

Henri Fuseli 1741 – 1825

Hipnos é o demônio do sono. Ele é filho da Noite e da Escuridão, e irmão gêmeo do Tanatos, demônio da morte. Ele mora em uma caverna nas Ilhas Elisias do Hades. Quando as pessoas dormem sua alma é levada por Hipnos até as portas do submundo sem nunca realmente entrar.

Os filhos de Hipnos são muitos, mas Morfeu, Fántaso e Ócelo, conhecidos como os Oneiros, os demônios dos sonhos, são os que trabalham nos domínios do pai. Eles guardam os dois portões para entrada das almas. Ao entrar no portão de mármore, os Oneroi mostram imagens que nada revelam. Mas aqueles que entram no portão de marfim vêem imagens que trazem verdades e profecias.

Estatísticas de Combate
Ataque: 1 (Punhos)
Defesa: 1 (Esquiva)
Dano: 2 (Força 1)
Proteção: 1 (Nenhum)
Vigor: 1
Ataques Especiais: Alucinação 3 (Cria imagens irreais com Combate 3, Proteção 6 e Dano 6, que causam apenas desmaios); Limite: Apenas em adversário adormecidos); Paralisia Mental / Sono 3.

Oneiros

A Materialização dos Sonhos

O mundo dos sonhos é um local dominado pelo demônio Hipnos, onde tudo pode acontecer. Verdades podem ser reveladas. Desejos podem ser saciados. Vitórias podem ser alcançadas. Anseios estão totalmente liberados. Tudo é possível. No entanto nada é real. Não há consequências para os atos e decisões das pessoas. Não há riscos.

Nem sempre isso é verdade. O demônio Hipno pode sim colocar riscos nas ilusões que gera no mundo dos sonhos. Ele, na verdade, possui um exército de seres inferiores nascidos da união da Noite e da Escuridão. Este exército é chamado de Oneiros, que podem interagir de forma verdadeira no mundo dos sonhos.

Estes sonhos reais também são chamados de “Proféticos”, quando os corpos dos sonhadores atravessam os portões de Marfim. Neles, os Oneiros são capazes de revelar segredos do mundo real. Podem fazer pessoas compartilhar o mesmo sonho de forma que possam interagir.  Eles são capazes até de matar! Não há dúvidas que são sonhos bem perigosos.

Estatísticas de Combate
Ataque: 2 (Garras)
Defesa: 2 (Esquiva)
Dano: 4 (Força 2 + Garras)
Proteção: 1 (Nenhum)
Vigor: 2
Ataques Especiais: Invisibilidade 1.

Nêmesis

O Espírito da Justiça

Alfred Rethel 1816 – 1869

Essa filha da Noite e da Escuridão é a implacável executora da justiça. Ela fornece grandes recompensas aos bons de ação, mas terríveis castigos aos pecadores. Mais do que um demônio, muitos a consideram Nêmesis como uma heroína que distribui tudo aquilo que é justo, vingando os injustiçados e consertando os maus feitos.

Nâmesis trabalha junto com as Fúrias. Estas, no entanto, são enviadas aos piores pecadores nos casos mais severos fornecendo apenas duras penas. Diferente delas, Nêmesis fornece aquilo que é merecido. Seja bom ou seja mal.

Estatísticas de Combate
Ataque: 3 (Espada)
Defesa: 3 (Esquiva + Escudo)
Dano: 7 (Força 2 + Espada Mortal)
Proteção: 4 (Armadura)
Vigor: 2
Ataques Especiais: Voo 2; Visão de Pecados 2; Poder da Cura 2.

Áclis

A Demoníaca da Miséria

Das filhas da Noite e da Escuridão, a demoníaca Áclis é a visão que mais impressiona os olhares humanos. Não por uma figura imponente, mas por ser exatamente o oposto. Ela é tão horrenda e nojenta que causa mais mal-estar só de olhar. É a própria personificação da miséria e da decadência.

Ela se apresenta lúgubre e abatida, verde e pálida, suja de lama, caída sobre si de fome, inchada no joelho, com unhas que cresceram longamente e narinas que gotejam secreções purulentas. No entanto, apesar da aparência decadente, é um demônio que se deve ter cuidado, pois é tão tóxica na imagem quanto na aura virulenta que emana ao seu redor.

Estatísticas de Combate
Ataque: 2 (Garras)
Defesa: 2 (Esquiva)
Dano: 4 (Força 2 + Garras)
Proteção: 1 (Nenhum)
Vigor: 2
Ataques Especiais: Toxicidade 3.

 

Eleos, Eros e Filote

Os Demônios do amor

Jean-Baptiste_Mallet_-_Eros (1)

Jean-Baptiste Mallet (1759–1835)

Em um mundo cheio de assassinos, conspiradores, usurpadores e vilões inescrupulosos, deve-se ter muito cuidado para não tomar decisões estúpidas que podem fazer até o mais poderoso dos heróis morrer facilmente. Assim, não há dúvida que não há nada mais perigoso e capaz de fazer alguém cometer erros que o Amor. Este é um sentimento tão irracional e imprevisível, que só poderia ter nascido da Noite negra e da Escuridão.

O Amor pode se manifestar de muitas formas. A compaixão é Eleos, que impede os heróis de tomar as ações necessárias contra um criminoso.  A paixão é Eros, que controla as próprias ações de um herói mesmo contra toda lógica. E o sexo é Filotes, que abre a guarda dos heróis para aproveitadores. Esses demônios são os mais belos dentre todos os deuses. São detentores de faces inocentes e asas douradas. No entanto, são os demônios com que mais se deve ter cuidado, pois são capazes de cegar os heróis e destruir até os mais poderosos.

Estatísticas de Combate
Ataque: 2 (Garras)
Defesa: 2 (Esquiva)
Dano: 4 (Força 2 + Garras)
Proteção: 1 (Nenhum)
Vigor: 2
Ataques Especiais: Controle da Mente 3

Éris

A Demoníaca da Intriga

Éris, filha da Noite e da Escuridão, é o demônio da intriga e da discórdia. Ela é a causadora das disputas e das batalhas. Ela insere o medo e a desconfiança no coração dos homens. Ela é o demônio mais maligno e poderosos do Tártaro. Ela traz consigo um exército de demônios menores. Estes são demônios que personificam o sofrimento humano que Éris tanto gosta de ver.

Estatísticas de Combate
Ataque: 2 (Garras)
Defesa: 2 (Esquiva)
Dano: 4 (Força 2 + Garras)
Proteção: 1 (Nenhum)
Vigor: 2
Ataques Especiais: Controle da Mente 3.

Aras

A Demoníaca das Maldições

Um dos pilares da adoração aos deuses olimpianos é a possibilidade de os homens mortais solicitarem favores aos deuses através dos rituais de sacrifícios. Nesses rituais, as vísceras e gorduras dos animais são queimados em fogo sagrado para que se consiga a atenção dos imortais. Muitos são pedidos justos e altruístas. São necessidades individuais ou desejos por uma vida melhor.

Alguns desses pedidos, no entanto, possuem características ofensivas. Buscam que algum mal aconteça a pessoas específicas. Desejam a morte, a doença, a fome e o insucesso de desafetos pessoas. Estas solicitações são chamadas de Maldições. Elas são presididas pela demoníaca Aras, que se apresenta como uma mulher de cabelos negros e olhar sombrio, que julga tanto quem as solicita como sobre quem ela recairá. E muitas vezes esse pedido é atendido na forma de uma cadeia de eventos que culminam no mal desejado.

Estatísticas de Combate
Ataque: 2 (Garras)
Defesa: 2 (Esquiva)
Dano: 4 (Força 2 + Garras)
Proteção: 1 (Nenhum)
Vigor: 2
Ataques Especiais: Probabilidade 3.

Momo

O Demônio do desprezo

Maarten van Heemskerck (1498–1574)

Nascido da Noite sombria e da Escuridão, o demônio Momo já fora convidado a viver no Monte Olimpo em tempos tão longínquos quanto a Era de Ouro dos homens. Hoje, no entanto, está proibido de sequer se aproximar da morada dos deuses. Ninguém o deseja por perto. Todos o consideram insuportável.

Primeiro, ele se intrigou com a deusa Atenas, que à época se vangloriava de ter ensinado os homens a construir casas. Momo desprezou a ideia, dizendo que a invenção deveria ter rodas para que os homens não ficassem presos num só lugar. Depois, foi a vez de se intrigar com Poseidon, que sempre amou os touros e cavalos. Momo disse que os touros são estúpidos, pois deveriam ter chifres abaixo dos olhos, não em cima da cabeça, para que pudessem ver o que estão atacando. Em seguida, se intrigou com Hefesto, quando este criou a primeira Mulher. Momo disse que deveria ter feito uma abertura no peito para entender seus volúveis sentimentos.

Finalmente, quando a deusa Afrodite entrou no Olimpo, com toda sua magnífica perfeição. Perguntaram a Momo se havia algum defeito nela. Sem ter o que dizer, Momo reclamou do barulho que suas sandálias faziam. Todos riram dele. Perceberam que não havia correção para um ser tão crítico. Momo foi o primeiro a ser colocado na Caixa de Pandora, para viver entre os homens e bem longe do Olimpo, em meio a criaturas tão imperfeitas quanto os filhos e filhas da Noite sombrias. Os olimpianos então zombaram dele, chamando-o de o “Rei Momo”.            

Estatísticas de Combate
Ataque: 2 (Garras)
Defesa: 2 (Esquiva)
Dano: 4 (Força 2 + Garras)
Proteção: 1 (Nenhum)
Vigor: 2
Ataques Especiais: Desorientação 3.

Oizis

A Demoníaca da Ansiedade

A demoníaca Oizis é irmã gêmea de insuportável Momo, demônio da reclamação e do desprezo. Diferente do irmão, Oizis personifica a ansiedade e do sofrimento mental. Também, não poderia ser de outra forma, tendo que conviver com Momo desde seu nascimento.

Assim, Oizis se apresenta como uma criatura de olhar inquieto e apavorante. Ela odeia a convivência com outras pessoas e se desespera por motivos mínimos. Esse sentimento também é capaz de ser passado para outras de pessoas, de forma que sua presença é quase tão insuportável quanto a do seu irmão.

Estatísticas de Combate
Ataque: 2 (Garras)
Defesa: 2 (Esquiva)
Dano: 4 (Força 2 + Garras)
Proteção: 1 (Nenhum)
Vigor: 2
Ataques Especiais: Parasilisa Mental 3.

Dolo e Apate

Os Demônios da Mentira

Todos males, seja o desprezo, o sofrimento, a discórdia, a miséria e tantos outros, não existiriam se não fossem as mentiras. Para um homem civilizado, matar ou roubar são crimes terríveis, mas sempre podem ser justificados. Os próprios deuses são passíveis de cometê-los. No entanto, nada é capaz de justificar o falso juramento. É um ato execrável. É o pior dos pecados. Não consegue perdão nem mesmo entre os deuses mais misericordiosos.

Dolo e Apate são um casal de demônios que personificam a fraude e a enganação. Ninguém sabe a verdadeira forma deles, pois ambos estão sempre modificando os rostos e biótipos. Eles se alimentam das mentiram, se fortalecem com a enganação. São criaturas realmente maléficas, detestadas até mesmo entre os outros demônios.

Estatísticas de Combate
Ataque: 2 (Garras)
Defesa: 2 (Esquiva)
Dano: 4 (Força 2 + Garras)
Proteção: 1 (Nenhum)
Vigor: 2
Ataques Especiais: Mudança de Forma 3.

Geras

A Demoníaca da Velhice 

Louise De Hem (1866-1922)

A demoníaca da Velhice se apresenta como uma mulher anciã, baixa e enrugada, parecendo ter noventa anos de idade e que se locomove lentamente com sua bengala. Dizem que á a mais implacável das filhas da Noite sombria e da Escuridão.

É temida até mesmo pelos deuses, de forma que fogem dela com o alimento divino que dá a vida eterna e a juventude infinita. No entanto, dizem também que dela ninguém escapa. Mesmo os deuses um dia cairão em seus braços, algo que essa velha mulher ficará muito feliz quando acontecer.

Estatísticas de Combate
Ataque: 2 (Garras)
Defesa: 2 (Esquiva)
Dano: 4 (Força 2 + Garras)
Proteção: 1 (Nenhum)
Vigor: 2
Ataques Especiais: Paralisia Física 3; Retorno do Tempo 2; Avanço do Tempo 2.

Lissa

A Demoníaca da Loucura

Lissa nasceu do sangue do Céu constelado derramado por seu filho Krono que caiu sobre a sombra da primordial Noite escura. Ela personifica a fúria incontrolável e o descontrole emocional.

Lissa causou a morte do rei Penteu de Tebas, a mando do viajante Dionísio, ao atingir, de forma psicótica e assassina, as próprias filhas do rei. E também é a causa dos ataques de fúria do herói Héracles a mando da deusa Hera. E muitos outros casos.

Estatísticas de Combate
Ataque: 2 (Garras)
Defesa: 2 (Esquiva)
Dano: 4 (Força 2 + Garras)
Proteção: 1 (Nenhum)
Vigor: 2
Ataques Especiais: Alucinação 3 (Cria imagens irreais com Combate 3, Proteção 6 e Dano 6, que causam apenas desmaios).

Fronteiras