A Visão Mitológica sobre o Deus Bíblico!

James Tissot 1836-1902)

Os Deus da Bíblia é mencionado nas mitologias gregas e sumérias?

A resposta para essa pergunta é SIM, mas não da forma como você imagina! Pelo menos, essa é minha visão pessoal e parte da descrição no mundo que desejo retratar aqui. A maior das divindades recebe nos textos bíblicos originais o nome de Elohim, que é traduzida como “Altíssimo” em nosso idioma. No entanto, a nomenclatura mais famosa nas escrituras hebraicas é do “Deus de Abraão, Isaque e Jacó”; e no evangelho cristão é do “Deus Pai”. Este se apresenta como a única divindade verdadeira, que criou o universo e sempre viveu no Reino dos Céus. E sobre este reino dedico a nova página do site ainda com uma visão mitológica.

Shamayim, o reino celestial.

Acredito que esse Deus-Criador da bíblia foi chamado pelos gregos de Urano, pelos egípcios de Temu e pelos sumérios de Anu; cuja tradução para todos esses termos é sempre o “Céu”. Eu acredito que a ideia de um culto monoteísta anterior aos inúmeros panteões da antiguidade é bem documentado nas histórias mitológicas. Essas histórias descrevem que o Céu simplesmente parou de produzir frutos na terra, o que possibilitou o surgimento dos muito deuses, mas a causa diverge quanto a razão disto. Os antigos dizem que ele foi castrado pelo grego Kronos e pelo sumério Enki, ou que foi substituído pelo egípcio Rá. As escrituras hebraicas, no entanto, contam outra versão desta história na qual a decisão de se afastar da humanidade partiu do próprio Altíssimo por motivo da insolência na construção da Torre de Babel. 

A minha mente explode com as possibilidades! Isso faz da nota de rodapé que é o Urano e Anu nos mitos antigos se transformar no maior mito de todos. Também traduz os deuses dos antigos panteões como anjos corrompidos pelos desejos humanos. Transforma Javé, o “Anjo do Senhor” que se mostrou a Moisés, num instrumento do Altíssimo para recuperar sua antiga influência. E faz da crucificação a vitória final do Deus-Criador sobre todos eles. Tenho certeza de que o apóstolo Paulo pregava entre os povos pagãos da antiguidade dizendo que o Pai Celestial estava retomando sua influência e que estes deveriam abandonar seus falsos deuses.

A fusão dos relatos hebraicos e dos mitos antigos se tornou mais orgânica do que eu poderia imaginar, inclusive identificando o maior adversário de Javé na Bíblia, chamado de Dagom, com os mitos de Enki e Krono das mitologias antigas. Na verdade, a partir desta noção, a história dos muitos deuses antigos se unificam numa só narrativa que mostra começo, meio e fim. E este cenário da Era de Bronze se encontra exatamente no meio dela!

Assim, espero que goste deste novo texto sobre o Reino dos Céus e apreciem os planos divinos, incluindo o mundo dos espíritos e os santuários sagrados. Obrigado, Pedro Cavalcanti.

 

um comentário

  • Essa ideia de todos estarem conectados é maravilhosa e dos deuses pagãos serem anjos caídos excepcional, adorei tudo isso e pretendo fazer compêndios pros jogadores terem algumas pistas para poderem teorizar sobre isso é tudo mais, sempre adorei implementar arqueologia e história antiga em jogos, Abraço e parabéns por mais um texto completinho desses

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s